Páginas

quarta-feira, 30 de março de 2011

CHILE - CASAS MUSEUS DE NERUDA - PARTE III - ISLA NEGRA

          E finalmente visitamos a última casa de Pablo Neruda. Em Isla Negra que não é precisamente uma ilha está a casa preferida de Neruda e talvez por isso a maior e mais completa, onde ele exerceu o máximo possível sua característica de“coisista”. Ao contrário das outras, aqui o desenho do barco está em um nível só, e parece poeticamente ancorado lá no alto. Dispostos nos jardins uma fonte, um campanário, um barco, uma âncora completam harmonicamente a paisagem do lugar.
         Na visita que é guiada descobrimos cômodo a cômodo como alguns objetos eram uma fonte constante de inspiração para ele, são diversas coleções, de garrafas, esculturas impressionantes de mulheres talhadas na madeira, coleções de garrafas coloridas dos mais variados modelos, máscaras, sapatos antigos, instrumentos de corda que ele não sabia tocar...
         Ali percebemos o quanto Pablo Neruda decorou cada canto da casa com suas coleções mais importantes como, esculturas, adornos, pinturas e livros, e como que elas tinham alguma relação com o mar. São barcos dentro de garrafas, réplicas de veleiros, conchas, dentes de baleia. A simbologia desses objetos, o entorno privilegiado pela presença do mar faz de Isla Negra uma representação real, concreta do seu imaginário poético.
         É a maior das casas pois passou por várias ampliações para dar lugar a todas as suas coleções, era como se ele quisesse espaço para trazer com ele todo o mundo que ele conheceu, ali representado por tantos objetos cheios de história. Em homenagem a vários poetas amigos que haviam morrido, ele gravou seus nomes nas madeiras do bar, uma torre foi construída na casa para lembrar sua moradia quando criança em Temuco, e faz as vezes de porta de entrada, uma sala para um cavalo em tamanho natural que ganhou de presente...Nesta casa Neruda escreveu parte importante de sua obra como Canto Geral, onde ele escreveu no seu poema Disposições um desejo seu, realizado quando de sua morte...

            “Compañeros, enterradme en Isla Negra, / frente al mar que conozco, a cada área rugosa de piedras/ y de olas que mis ojos perdidos/ no volverán a ver...”
                                        
                                                      As belas paisagens de Isla Negra
                                   





O símbolo da Fundaçâo



Foto do site da Fundação - Esculturas eem madeira

Foto do site da Fundação - A sala de estar

Foto do site da Fundação - A sala do cavalo

Foto do site da Fundação - A sala das conchas

Foto do site da Fundação - O escritório

Foto do site da Fundação - A sala de jantar
A última morada junto a Matilde

13 comentários:

  1. Valéria
    Voce fez uma viagem dentro da viagem. E isso não tem preço.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Val!!!
    É tudo muito mágico!!! Impressionante as esculturas em madeira, belíssimo, ele convivia mesmo com diversas culturas, uma viagem imperdível mesmo!!! Muito bonitas as fotos!!!
    Beijos
    Bia

    ResponderExcluir
  3. ah Neruda, que lindo conhecer seu lugar, seu canto. as obras em madeira são maravilhosas. boa semana

    ResponderExcluir
  4. Oiii
    Menina, esse escritório é uma tentação para quem gosta de madeira... Um xero

    ResponderExcluir
  5. Oi!!!!!!

    Jorge!
    Foi uma bela viagem mesmo e eu me empolguei nos relatos. Eu queria, mas é difícil, que vocês sentissem o que eu senti, a mágica de cada lugar!


    Bia!
    Cada casa é um mundo, literalmente!
    Gostei demais de fazer essas viagem e relatar revivendo aqui. Tinha uma escultura logo na entrada da sdala quase deitada, suspensa que era liiinda, tem no folder, mas como não é colorido acho que não ficava bom escanear e por aqui. Maravilhosa!

    Welze!
    Você iria gostar... ver de perto a representação de mundo de uma pessoa que admiramos e só conhecemos de ouvir falar é demais, seus gostos, os mais bonitos, os mais loucos...rsrs

    Pipa!
    Ihhh! Nesta casa você adoraria morar, ela é mais arrumada, mais lógica, e a vista da escrivaninha que ele tinha?...

    ResponderExcluir
  6. Oi Valéria,
    De tanto vc falar de Neruda e ver estas fotos, neste final de semana comprei "100 Poemas de Amor", dele. Eu tinha perdido este livro e fiquei com vontade de reler.
    Bjkas e uma quarta-feira maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  7. aaah, pablo neruda... tudo de bom! brigada pela passada la no blog, fofa!

    ResponderExcluir
  8. Oi!!!!!

    Betty!
    Que bom a motivação para reler Neruda, também vou reler, fiquei contagiada.rsrs Bjos!

    Cintia!
    Ótima sua visita sinal que as coisas estão andando bem! Bjos

    ResponderExcluir
  9. Conheci seu blog pelo da Betty, mto bom o blog... beijinhos....

    ResponderExcluir
  10. Valeria, mto obrigado pelo comentário la no blog... eu tb curti mto o seu... e já estou te seguindo. beijao

    ResponderExcluir
  11. Oi Andy!
    Obrigada pela visita e seja bem vindo!

    ResponderExcluir
  12. Retribuindo sua visita, que prazer estar nesse seu blog e poder saber tanta coisa nobre Neruda, tudo muito belo, artístico e cheio de história,parabéns pelos posts!

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...