Páginas

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

ENCONTROS E DESENCONTROS

          
           Ela era uma jovem do interior, cidade de vida provinciana a que tudo se sabe e todos se conhecem. Por ser de uma família respeitada na cidade, era recatada e discreta. Seu coração bateu mais forte, não por um jovem da sua idade, mas sim por um homem viúvo e com filhos. A objeção foi imediata, a família reprovou e condenou o amor ao fim. Os laços, porém foram mais fortes e daquela rápida e intensa paixão surgiu um fruto, fadado a um conflitante amor e a indiferença. Seguindo os princípios rígidos daquela família tudo foi arranjado, mãe exilada e futuro bebê acertado para adoção. Mãe e bebê separados, tudo pareceu voltar ao normal, a vida é retomada. Aquele pai enfim cria coragem enfrenta àquela família, o amor vence e casa-se com a jovem mãe. 
            Enquanto isto acontecia uma criança enchia de alegria o lar de um casal já sem esperança de ter e ver a alegria de uma criança nas suas vidas. Viviam felizes até o momento em que descobrem que aquela alegria estava ameaçada pela busca daquele outro casal que sonhava em ter para eles o fruto de seu amor. Ambas as famílias perderam, uma seus bens materiais para fugir de repente para não serem encontrados, outra ao não encontrarem a criança. E o tempo tratou de apaziguar os ânimos e a vida continuou para aquela criança criada cheia de amor e carinho. Feliz e ingênua nunca se apercebeu da sua situação nem pela avançada idade dos pais nem mesmo quando as outras crianças a chamavam de adotiva. Afinal ao interpelar a mãe esta a enchia de motivos para desacreditar de fato tão sinistro, assustador, mas que sempre a rondava até quando já adolescente e depois de perder a mãe alguém veio a contar sem dó nem compaixão, cheia de argumentos que não poderiam desmentir aquela tão triste realidade, ela era mesmo adotada. O mundo tremeu e a base sólida que a mantinha trincou... Já não tinha tantas certezas, sua vida parecia ter sido uma grande mentira mesmo tendo ao seu lado o velho pai... Não sabia onde buscar suas referências se sentia um pouco perdida, mas como suas buscas foram infrutíferas se conformou.
          Como o destino às vezes é ardiloso e arma das suas, um dia já casada ao visitar sua médica esta usando de muito tato por conhecer seu pai, um senhor de idade, a pergunta se ela sabe se é filha legitima e ao obter a resposta afirmativa, diz ter duas pacientes e que quando uma delas a perguntou pelas visitas da irmã, ela só lembrou-se dela de tanto que pareciam, falando seu nome a jovem paciente disse que sua irmã era outra, mas que muito lhe interessava saber daquela pessoa, pois tinha uma irmã com aquele nome e que foi criada por outra família, contou então toda a sua versão daquela estória e pediu o endereço. Trocadas correspondências longos anos de incertezas foram dissipados... Enfim ela havia sido encontrada! Porém aquela mãe também havia morrido e suas perguntas não foram respondidas, jamais seriam...

35 comentários:

  1. Me emocionou profundamente...Vivi uma situação bem semelhante com meu pai que pensava ser e aos 39 anos, numa tentativa de suicídio, minha mãe me confessou que ele não era e sim um outro, que já havia falecido...Minhas estruturas se abalaram, podes imaginar. Depois, superei e minha mãe, que ficou em coma por um mês, também, tanto que até hoje está aí...agora doente! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Val..que historia... Fiquei por alguns minutos presa a ela!!

    Um bj..dia de paz a vc!!

    Ma

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Chica!
    A vida é a arte dos encontros, mas existem mesmo muiitos desencontros nela. Um clichê verdadeiro!
    Nos bastidores temos roteiros para muitas histórias que procuramos exorcizar dando vida aos fatos. Imagino o que você sentiu, a empatia é verdadeira. Melhoras e que tudo termine bem!

    Ma!
    A vida imita a arte ou a arte imita a vida?!
    Pois é...que bom que prendi sua atenção!rsss

    Obrigada pelas visitas, beijão!

    ResponderExcluir
  4. Tenho horror das pessoas que tomam o destino das outras para si e fazem o que querem.As consequencias são terríveis e não existe cicatrização.
    Esta história emociona e ao mesmo tempo nos revolta.
    beijão Valéria

    ResponderExcluir
  5. É lindona, como vc disse será a vida que imita a arte ou ao contrário, tantas historias de vida.

    Beijinhos, ótimo dia pra vc.

    ResponderExcluir
  6. Oi Val!!!

    Muito interessante!!! Existem muitos desencontros, infelizmente nem tudo acontece como gostaríamos, existe sim a interferência do destino o qual muda completamente a direção de uma vida!!!
    Bjus
    Bia :)

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria,
    Tem uma história tão semelhante a esta na minha família paterna. Um primo (já falecido), casou-se com uma moça que depois soube que era adotada, mas ela chegou a comecer a mãe biológica depois que a mãe adotiva faleceu e foi uma festa para a família biológica a descobrir.
    Beijos 1000 e um meio de semana maravilhoso para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  8. Valéria, q triste história. Isso pq o egoísmo das pessoas é grande. Se esses pais adotivos tivessem pensado no bem da criança, devolveriam-na e ganhariam novos amigos. E a incompreensão dos pais da menina não deixando q assumisse seu amor. Terrível. Muita paz!

    ResponderExcluir
  9. Oi valéria,
    Às vezes a vida prega algumas peças terríveis, não?
    O seu conto é emocionante! Fiquei grudada lendo-o.
    Beijos e até mais.

    ResponderExcluir
  10. Oi Valéria, tudo bem?
    Quanta semelhança na sua história, com um caso na família da minha mãe; só que neste caso a filha adotada, ao tomar conhecimento do fato, teve oportunidade de conhecer seus pais biológicos e hoje cuida da mãe, já muito idosa. A mãe adotiva faleceu quando ela era adolescente.
    Como você disse é a vida imitando a arte ou a arte imitando a vida?
    Obrigada por suas palavras carinhosas lá no bloguito.
    Bjo e boa noite.

    ResponderExcluir
  11. Valéria,
    um conto que pode ser aplicado em tantas famílias, em tantas realidades!
    Mas o que mais me emociona é saber que a vida, de uma forma ou de outra, sempre promove encontros e também desencontros.

    Beijinhos,
    Carol :)
    http://bembemsimples.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Valéria, uma das piores coisas nesta vida é não saber o próprio passado e pior, saber que nunca será revelado por completo.
    Uma história parecida aconteceu comigo desde pequena e até hoje tenho perguntas que jamais saberei as reais respostas. Cada um da família diz uma coisa diferente da outra. Resolvi deixar de lado, casar e construir uma família longe de toda essa confusão. Fazer o que.

    Um beijo querida e obriga pela sua visita!

    ResponderExcluir
  13. Oi Valéria
    Essa é a história de muitos que têm suas raizes ocultadas e um belo dia se sentem suspensa e em busca constantes....
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Val!
    Que interessante essa história...a vida é uma caixinha de surpresas..algumas são reveladas e outras continuam embrulhadas...
    Bjão e uma boa noite!

    ResponderExcluir
  15. Val..ja comente aqui.. o meu bjinho pra vc!!

    ResponderExcluir
  16. Oi!!!

    Yasmine!
    Neste tipo de história se fica na fronteira entre o amor e o ódio, eles se misturam e eu sinceramente não sei quem ganha.rsss

    Dja!
    São tantas histórias, são tantos caminhos que tomam nossas vidas...

    Bia!
    Infelizmente são traçadas linhas do destino que não podemos mudar...

    Betty!
    É verdade existem muitos casos assim e que felizmente o desfecho foi mais feliz...

    Denise!
    Pois é, muitos desencontros, mas não se pode brincar com as pessoas.

    Sílvia!
    O mais difícil é ter que conviver com elas por toda a vida...

    Maria Célia!
    Deve ser muito emocionante o outro lado da história, a versão em que todas as pendências são dissipadas.

    Carol!
    Não, certamente a vida está cheia de casos como este e cada um com seu desfecho, uns mais felizes outros nem tanto.

    Flávia!
    É mesmo desconcertante. Primeiro corre uma implosão e passamos a vida toda para tentar reconstruir a partir do que ficou. Graças a Deus você está conseguindo!

    Norma!
    É verdade, uma busca para completar um vazio inexplicável...

    Roberta!
    Existem casos em que não se sabe se é melhor abrir a caixinha ou deixar embrulhadas.rsss

    Ma!
    Obrigada pela visita então!rss

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Que história..
    Estava passeando pelos blogs e achei o teu e gostei muito, estou seguindo. Te convido a visitar o meu e se gostar siga tbm.
    Bjão
    Aline

    comprasdemulheres.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Valéria desejo um fds bem maravilhoso!
    beijão

    ResponderExcluir
  19. Olá Valéria,
    Sempre fui de opinião que os filhos adotivos devem conhecer a sua história. Um dia a verdade vem à tona e as consequências costuma ser desastrosas.
    Conheço alguns casos que não tiveram um final feliz.
    No caso de sua história fatores diversos contribuíram para a separação da criança de seu
    seio familiar, mas, de qualquer forma, ela tinha
    o direito de conhecer a sua origem.
    Tenha um fim de semana de muita paz e luz.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá, querida Valéria
    Sabe, histórias assim são verdades hoje em dia...
    E desde sempre, claro!!!
    Mas creio que a história verdadeira mesmo só na outra vida vamos ter a certeza plena...
    Aqui teremos constantes dúvidas de toda espécie...
    Obrigada pela oração dispensada à minha filha mas precisamos interceder uma semana a mais... pra obtenção da graça...
    Bjs de paz e ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  21. Olá Valeria

    Eu sou Kinha do blog AMIGA DA MODA e vim conhecer seu espaço que é lindo e interessante e por isto já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.
    QUER GANHAR UMA JOIA? A designer Eliana Colognese criou um belíssimo anel e gostaríamos muito de contar com a sua participação. Faça a sua inscrição no blog e...Boa Sorte

    Bjooooooooooo...................
    http://amigadamoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Valéria,
    passo para desejar um excelente final de semana!

    Beijinhos,
    Carol :)
    http://bembemsimples.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Valéria,

    Que história emocionante! Fiquei refletindo, quantas histórias como essa devem existir nesse mundo de meu Deus.
    Quantas perguntas sem respostas.
    A flor solitária na calçada, também demonstra a grandeza do texto.

    Val, eu já conhecia aquele método de prender as molduras, mas eu não confiava. Achava muito difícil um pedacinho de adesivo tomar o lugar de uma furadeira, pregos e parafusos. Rs
    Mas aqui, as pessoas usam isso há muito tempo e nunca tiveram problema. Bem, estou testando, se der certo, posso colocar outros quadros mais bonitos. Rs
    Obrigada pelo carinho de sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Oi Valéria
    Houve umapublicação indevida do dia de festa, é só no dia 09. bjs

    ResponderExcluir
  25. Muito comovente o seu conto querida...a vida tem dessas coisas, são tantos encontros e desencontros que nem sempre entendemos os porquês de tudo isso, mas com certeza, a Vida sabe...
    Bom sábado...beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  26. Oi Val!!
    Passei aqui para te desejar um ótimo final de semana;)
    Bjos
    Rô!

    ResponderExcluir
  27. Lindo texto, com váriosssssssssssss aprendizados, é só ficar atento na mensagem...
    Vim lhe convidar a participar do meu blog, todo dia 10 tem sorteio de 10 livros dos novos autores que recem apoio deste blog, e para participar, basta seguir, e deixar um comentário, dizendo - quero participar da promoção; assim o faço por aqui, e certamente, voltarei, um abraço.

    ResponderExcluir
  28. Oi. Vim aqui agradecer pessoalmente os sinceros cumprimentos deixados no blog da Ma (Arte em Cerâmica).
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  29. Teu texto mostrou uma realidade de muitos, Val, gostei muito.
    Concordo com o que a Yasmine disse, ninguém tem o direito de mudar o destino de ninguém com mentiras. Tive um caso na família, e como a mentira tem perna curta, eu fui quem desencapuzou mas porque nao sabia existia a mentira. Pode imaginar minha cara? Bem, tudo superado (pra mim logicamente), só que pra minha sobrinha em questão tenho certeza foi desastroso, apesar dela insistir em dizer que deu a volta por cima.

    ResponderExcluir
  30. Oiii!

    Aline!
    Seja bem vinda ao meu blog sempre!
    Obrigada pela visita e certamente te visitarei!

    Yasmine!
    Obrigada pelo carinho! Para vc também!

    Vera Lúcia!
    O mau disso tudo vem desde o não conhecimento da real verdade. Afinal sua história deveria ser de seu conhecimento, você se sente sem referencial.Os outros fatores são só agravantes.

    Rosélia!
    É verdade respostas só na outra vida mesmo!
    Continuaremos conectadas na oração.

    Kinha!
    Seja muito bem vinda ao meu blog!
    Obrigada pela visita e vsitarei seu blog certamente.

    Carol!
    Obrigada pelo carinho! Para você também!

    Lucinha!
    Não, são milhares de casos em que os desencontros foram a tônica por n motivos.
    Que bom que deu certo sua decoração!

    Norma!
    Ok!

    Valéria!
    Na vida o tempo tudo acalma, até estes desencontros...

    Roberta!
    Obrigada pelo carinho! Boa semana!

    Adriana!
    Seja muito bem vinda ao meu blog, ele está de portas abertas sempre.rsss
    Visitarei seu blog!

    André!
    Não há de que!

    Cris!
    Nooossa Cris você deve ter ficado se sentindo péssima mesmo. Mas teve seu lado bom apesar da violenta surpresa da revelação. A volta por cima é mais difícil! Mas fique bem você de certa forma fez o certo.

    Beijos e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  31. Val!
    nao sei se fiz o certo, porque foi totalmente sem querer, porque eu nao sabia a sobrinha nao sabia!
    Nem preciso dizer que ninguém entendeu que foi realmente assim, e nao vontade de fazer intriga.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Oi Cris!
    Não, pela forma como é dito dá para perceber quando é para fazer intriga. Digo isto, pois quando eu era pequena, muito boba(poxa com faz tempo!rss) minhas primas diziam,"você não é filha de minha tiaaa"!cantando, sabe como menino ruim? Então em outra circunstancia, outro contexto a coisa é diferente, só acha que é intriga quem quer fazer intriga. Mas o tempo a tudo cura, não há remédio tão poderoso. Tudo se restabelecerá!

    Beijos e uma boa semana!

    ResponderExcluir
  33. Quando você participou de uma entrevista, há pouco tempo, falou sobre o fato e me emocionou. Não se muda o passado, é fato. E ele cria raízes. Você é uma pessoa especial, demonstrando que, apesar de tudo, recebeu uma boa formação. Não adianta a gente dizer que entende porque só quem passa pela situação pode definir seus reais sentimentos.
    Acredito que, só no plano divino, existe uma lógica para tudo.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  34. Oi Valeria, estou aqui na minha caminhada dos sete links, pois venho de outro post onde vc diz que este é o texto que mais se orgulha..

    é bom quando a gente se expressa, se esavazia e se acalma...mas confesso que tantos desencontros foram fortes demais pra mim...mas o que a vida quer da gente é, alem de coragem, força, nao é mesmo?

    Bjss LInda...vou continuar

    Nana Andrade

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...