Páginas

quarta-feira, 22 de junho de 2011

VIAJANDO...

           No instante que vocês estiverem lendo este post eu estarei viajando! Com um casamento a se realizar neste mês, precisamente dia 25/06 de uma sobrinha que mora no sudeste do país decidimos complementar a viagem e conhecer mais um pedacinho do Brasil. Diferente das demais que já fiz esta terá um gostinho de aventura, será de carro. Sairemos em dois carros daqui de Natal na manhã do dia 22/06 e faremos nosso tour até o início de julho. Assim passaremos em novas terras nossos festejos juninos. Espero que não esqueçam de meu blog e de mim.rsss
         Até a volta! Beijos!
         Visitaremos e passaremos...







segunda-feira, 20 de junho de 2011

MEIA NOITE EM PARIS - O FILME

         
           Como grande apaixonada pela cidade luz fui este final de semana assistir ao filme Meia-Noite em Paris, o filme mais badalado do Festival de Cannes desse ano. Claro que um dos motivos da badalação do novo trabalho de Woody Allen, foi a presença no filme da primeira-dama da França, Carla Bruni-Sarkozi. De início me surgiu uma resistência, a participação de Owen Wilson como protagonista, mas logo no início do filme sua atuação como o alterego do próprio Woody Allen fez cair minha idéia pré-concebida do jeito caricato de outras atuações.
           Tendo como cenário a bela e apaixonante Paris que se mostra em todo seu esplendor em belas imagens seja pela manhã, à tarde ou à noite, chovendo ou fazendo sol é sempre acompanhada de uma bela trilha sonora do jazzista Cole Porter que empresta a todo o conjunto um certo clima cool.
           A história nos mostra os conflitos de um americano de passeio em Paris com a família da noiva, Owen Wilson no papel de Gil Pendler que vivendo a magia de Paris a meia noite viaja no tempo e passa a viver nos anos 20, seu grande sonho como escritor, o que o faz ao conviver com grandes nomes das artes daquela época reavaliar seus conceitos e sua vida trazendo à tona o pensamento de que ter uma vida diferente, viver em outra época poderia ser a solução para a sua vida insatisfatória. Woody Allen usando da metalinguagem, característica de seu estilo, apresenta sem fugir a regra seus conflitos existenciais pautados na questão da fuga dos seus personagens de uma vida desagradável e a busca ilusória da felicidade em um plano irreal.
           No entanto para minha satisfação a grande protagonista da história é mesmo a bela cidade luz, Paris está mais fotogênica do que nunca seja em seus cartões postais apresentados no início do filme, seja nos recantos que fazem dela especial, cenário que faz aflorar e dissipar todas as dúvidas do então sonhador Gil.

domingo, 19 de junho de 2011

MAIS UM CARINHO...



           Que bom!
           Ganhei mais um selinho do Prêmio Sunshine Award, desta vez da querida Roberta do blog Mundo dos Eus, uma linda jovem psicopedagoga de muita sensibilidade e que tenho o prazer de receber sempre em meu blog. Como já se sabe o prêmio vem acompanhado de 5 regras:

1 - Agradecer a quem nos ofereceu

2 - Escrever um post sobre ele

3 - Entregar o sêlo a 12 blogs (esta que é a tarefa mais ingrata, por ter que escolher apenas 12 blogs)

4 - Mencionar no post os blogs selecionados

5 - Avisá-los sobre o recebimento do mesmo
 
          Desta vez vou transgredir um pouco, acho que é possível neste caso, vou oferecer a todas as pessoas que carinhosamente vêm me acompanhando e deixando aqui no meu espaço e o engrandecendo, palavras sempre acolhedoras e inteligentes. Para vocês meu muito obrigada e podem levar a singela homenagem em forma de selo.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

EDITH PIAF - A QUOI ÇA SERT L' AMOUR ?(Para que serve o Amor?)

           Em outra ocasião já postei sobre minha admiração por Edith Piaf, tanto que ao descobrir este video no Youtube, me apaixonei e pensei logo em mostrar minha descoberta. É uma animação, um curta metragem francês produzido por Louis Clichy da Cube Creative, um studio que produz animações em 2D e 3D.  Lúdico e apaixonante por estar legendado nos envolve mais ainda nesta linda brincadeira. Embora possua pequenos erros de tradução, a linda e romântica animação nos mostra o porque do amor mesmo ao sabor dos encontros e desencontros da vida.


     
                   Por   no Youtube

          

quarta-feira, 15 de junho de 2011

UM MEME LITERÁRIO

Imagem do Google
           Este Meme foi um pedido da amiga Yasmine uma bela e sensível mulher, poetisa de nossa cidade Natal, dona do blog Yasmine Lemos e foi com prazer que me propus a responder. É uma proposta interessante esta brincadeira e como é o meu primeiro, o faço com o entusiasmo das coisas novas. E vamos lá!
1 - Existe um livro que leria e releria várias vezes?
      Existem tantos livros a ler que não sei se releria algum, mas um que me impressionou a esse ponto foi A Caverna de José Saramago.
2 - Existe algum livro que começou a ler, parou , recomeçou, e nunca conseguiu ler até ao fim?

     Ah sim, O Mundo de Sofia. O conteúdo é riquíssimo e a escrita bem simples de fácil entendimento, mas a fantasia das cartas e de toda a história não me conquistou. Acho que vou dar outra chance. rsrs

3 - Se escolhesse um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?

     Não sei. Pelo tempo que teria e apenas um livro, talvez a Bíblia por carecer de muito tempo e paciência para o seu entendimento.

4 - Que livro gostaria de ter lido, mas que, por algum motivo, nunca leu?
 
      Já comprei o livro, mas sempre surgem outros e passo na frente. A Epopéia do Pensamento Ocidental de Richard Tarnas.

5 - Que livro você leu cuja ‘cena final’ jamais conseguiu esquecer?

    
      A cena final de A Caverna é espetacular, uma bela reflexão sobre o nossa via moderna e de valores materialistas. É belíssima! Inesquecível!

6 - Tinha o hábito de ler quando era criança? Se lia, qual era o tipo de leitura?

      Ah sim! Meu pai me enchia de livros de estórias e eu adorava!

7 - Qual o livro que achou chato e mesmo assim leu até o fim? Por quê? .

      Jeff em Veneza, morte em Varanasi, de Geoff Dyer, achei terrível, sem pé nem cabeça, mas como foi presente li caso o presenteador perguntasse algo sobre o livro.

8 - Indique alguns dos teus livros preferidos.

     O Paraíso das Damas de Zola, A Caverna, Ensaio sobre a Cegueira, Ensaio sobre a Lucidez de Saramago, Os Caçadores de Conchas de Rosamunde Pilcher, Germinal de Zola, A Pele de Onagro, O Lírio do Vale, Eugénie Grandet de Balzac, são tantos...
 
9 - Que livro está lendo neste momento?

       Esplendores e Misérias das Cortesãs, de Balzac
 
10 - Indicar dez amigos para o Meme Literário.

       Como vejo que muitas pessoas andam respondendo muito a estas brincadeiras, vou deixar para quem desejar realmente responder levar para seu blog. Sejam bem vindos e boa sorte!

terça-feira, 14 de junho de 2011

O PRIMEIRO A GENTE NUNCA ESQUECE...


           Fui surpreendida pela amiga Ma do  blog Arte em Ceramica http://mdfbf.blogspot.com/ com este selinho.
           A Ma é um doce de pessoa e uma grande artista que nos comtempla diariamente com seus belos trabalhos em ceramica ilustrados por belos textos e poesias. Fiquei feliz em ser indicada por ela! Foi um prazer!

           O recebimento do sêlo vem atrelado a cinco regras:
1 - Agradecer a quem nos ofereceu
2 - Escrever um post sobre ele
3 - Entregar o sêlo a 12 blogs (esta que é a tarefa mais ingrata, por ter que escolher apenas 12 blogs)
4 - Mencionar no post os blogs selecionados
5 - Avisá-los sobre o recebimento do mesmo.

           Antes de mais nada quiz fazer um clube da Luluzinha e como não será o único, espero, nos que virão estarei prestigiando quem não se encontra nesta resumida lista. Por enquanto os que aqui não estão sintam-se representados e premiados, pois os que me visitam e aqui deixam suas palavras amigas estão em meu coração não apenas em uma lista.
Segue o nome dos blogs escolhidos:


segunda-feira, 13 de junho de 2011

IDENTIDADE

          
          Hoje é o dia do nascimento de Fernando Pessoa, que em 13 de junho de 1888 nascia em Lisboa, mas não vou fazer um post sobre ele para não me tornar repetitiva, pois já o fiz há um tempo atrás. Quero apenas prestar minha homenagem a este que foi um dos maiores poetas de todos os tempos. Como um ser inquieto criou vários heterônimos e neste verso traduz seus questionamentos pelas personalidades que vivenciou em uma espécie de mundo imaginário.

IDENTIDADE

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: «Fui eu?»
Deus sabe, porque o escreveu.

Novas Poesias Inéditas, Fernando Pessoa, Lisboa: Ática, 1973



sábado, 11 de junho de 2011

SÓ MESMO O AMOR...

Imagem do Google
            Durante toda a semana fomos estimulados a pensar no amor, o mês de junho traz isso, uma onda de amor provocada pelo dia dos namorados. Nos blogs então nem se fala, ninguém escapa da flechada do cupido. Isso é bom, inspira bons pensamentos, boas idéias, bons sentimentos. E viva o amor!  

ETERNOS NAMORADOS

Lá vêm eles
De mãos dadas
Calças jeans e camisetas
Apenas colegiais
Brincam e riem
Falam e calam
Brigam e choram
Riem e cantam
Encantam...
Tudo é flor
Naquele amor do casal de namorados.
Vem o tempo de sonhos,
De planos...
E então o menino
Sela e enfeita com flores
Aquele destino.
Seguem um longo caminho
De flores e espinhos
Que com promessas e juras
Foram vividos com amor e carinho
Juntos caminharam
Juntos riram e choraram
Embalados pelo amor
De eternos namorados!

        Valéria Virginio

quinta-feira, 9 de junho de 2011

A BELA ADORMECIDA MODERNA

Imagem do Google
         
            Para ela o sono da tarde é sempre bem vindo. Um sono reparador do dormir tarde e acordar cedo para ir para a aula. Naquele dia estava só, o silêncio e a tranqüilidade tomavam conta do apartamento. Seus pais haviam saído e os irmãos também, deixou a televisão ligada na programação vespertina. Tomou um banho e deitou. Logo adormeceu e ao fundo o som da TV foi sendo substituído pelo vazio logo povoado por seus sonhos. Assim as horas foram passando, a tarde se foi e as primeiras estrelas começaram a compor o belo cenário da noite. Lá dentro o escuro se fez, os cômodos que antes estavam claros pela luz do dia se encontravam agora mergulhados na escuridão causada pela ausência das pessoas. Com a noite instalada próximo de oito da noite chegam os pais. Estranham o escuro, mas apertam a campainha de som estridente que se fazia ouvir em todo o pequeno prédio de apenas seis apartamentos, nenhuma resposta. Batem na porta, nenhuma resposta. Insistem, nada. A aflição começa a tomar conta e substituir o racional. Mobilizados pelo barulho dos chamados, batidos de porta, da campainha insistente os vizinhos começam a aparecer. Uma logo sugere:

–Vamos chamar os bombeiros!

           O casal preocupado pensava chamar apenas um chaveiro, não queria chegar a extremos então reluta, a vizinha não se dobra e chama os bombeiros. Assim em poucos minutos o apartamento é invadido por sons simultâneos de bater de porta, gritos, telefone tocando e até o interfone, tudo foi utilizado por todos para chamar a jovem adormecida. Como nestas horas sempre se pensa em coisas desagradáveis, diante daquele silêncio a tantos chamados só se pensava no pior, as horas passavam... A aflição aumentava...Os bombeiros chegaram. Toda uma logística foi montada para se chegar de fora do prédio até o apartamento, a escada não alcançava. Outra tentativa. Através do apartamento do andar inferior se pôs uma escada com ganchos até a janela do quarto da jovem que se encontrava aberta. Assim deu certo. Não se sabe se devido aos barulhos da operação ou se o sono já havia completado seu ciclo, nesse ínterim ela acorda e se surpreende com aquele homem em sua janela, em meio ao estado de letargia do acordar nem percebe que era um bombeiro, nem sequer imaginava o que estava acontecendo e grita tentando empurrar o homem que ela pensou ser um ladrão em sua janela:

-Saia daqui do meu quarto, homem, desça, vá embora!

           Calmo como deve ser e estar nestas ocasiões o bombeiro explica o que está acontecendo. Ela fica que não acredita é tudo muito surreal. Ele entra e juntos abrem a porta. Tudo se dissipou com as explicações e a calmaria voltou a reinar. E viva os bombeiros que nas horas vagas acordam belas adormecidas!

             Hoje dia 09/06 estou no blog da amiga Norma, do Pensando em Família, na sua iniciativa O amor  está no ar, em homenagem ao amor que se faz ainda mais presente na semana dos namorados. Visitem!
http://pensandoemfamilia.com.br/blog/contos/amor-3/

terça-feira, 7 de junho de 2011

PAUL GAUGUIN - 07/06/1848

           No mês de junho temos vários grandes personagens da nossa história aniversariando, mas escolhi Paul Gauguin, não porque ele fosse o mais importante dentre todos eles, porém por ser ele um precursor de um estilo bem próprio e assim sendo por sua importância para a história da arte.

     ... “Eu crio os arranjos de linhas e cores e como um pretexto, acrescento algum tema da natureza, da vida, de sinfonias ou harmonias”. Paul Gauguin

           Eugène-Henri-Paul Gaugin nasceu em Paris, em 07 de junho de 1848, era filho de um jornalista francês e de uma escritora peruana, assim passou os sete primeiro anos de sua vida em Lima. Na juventude se tornou um marinheiro da Marinha Mercante onde viajando durante cinco anos viajou pela América do Sul e visitou as paisagens tropicais do Panamá e o Pacífico que povoavam seus sonhos. Ao voltar trabalhou como corretor de valores e começou a se dedicar a pintura despretensiosamente. Na área foi conhecendo vários pintores Impressionistas como Pissaro, Cézanne e Van Gogh e adota então suas técnicas, como pintar a obra no próprio local com curtas pinceladas, característica daquele movimento. Com a quebra da bolsa de Paris e seu declínio financeiro ele decide se dedicar completamente a pintura. Já se encontrava com 35 anos e começou ali uma vida de viagens principalmente para os trópicos e de boemia, que resultou numa significativa produção artística que aos poucos distanciada do impressionismo exerceu forte influência na arte moderna e teve grande impacto na arte de pintar. Sua pintura possuía um estilo bem diferente e peculiar com cores puras e brilhantes, proporções corporais exageradas e delineadas e de caráter ornamental, denominado de simbolismo e que era o retrato da simplicidade, do exótico e do primiivo. Nas terras tropicais sua paixão viu a possibilidade de uma vida simples em contato com indígenas e livre das restrições da civilização, o contato com o primitivo mesmo, de segredos e mistérios foi a temática recorrente em seus quadros.
            Gauguin expôs pela primeira vez em 1876 como amador ainda, mas mesmo depois de tornar-se profissional não viveu uma vida tão fácil, viu a fama, mas ela não lhe evitou suportar dificuldades financeiras, problemas de saúde e conjugais causados por suas ausências e amantes. Viveu em Arles, em Pont-Aven na Bretanha, na Martinica, em Mataiea no Taiti seu paraiso selvagem e buscando o Éden foi em direção as Ilhas Marquesas, uma ilha chamada ilha deHiva Oa coroando sua pintura de uma simplicidade e liberdade por ele encontrado. Neste paraiso polinésio ele veio a falecer em 8 de maio de 1903.

Bouquet - 1884

A Praia em Dieppe - 1885

Garotas Bretãs - 1888

O Cristo Amarelo - 1889

Perda da virgindade - 1891

Mulheres na Praia - 1891

Siesta - 1892

Quando você vai se casar? - 1892

Não me digas que estás com ciúmes! - 1892

O Espírito dos mortos em vigília - 1892

Auto-retrato de chapéu - 1893-4

O dia do Deus - 1894

Dias de Deleite - 1896

Nunca Mais - 1897

De onde viemos? Quem somos? Para onde estamos indo? 1897

Cavaleiros na Praia - 1902

Moça com Ventarola - 1902

domingo, 5 de junho de 2011

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE - 05/06 NATURALMENTE BELA

Arquivo pessoal - Lagos Andinos
           "É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve". Victor Hugo



NATURALMENTE BELA!

Ao ver-te encho os meus olhos

Ó natureza!

Tal qual uma dama formosa

De seus dotes orgulhosa

Por tua tão fecunda beleza

De mares e oceanos,

De rios e cachoeiras,

De montanhas e planícies,

Florestas de belas árvores

Abrigos de espécies mil

Completam a tua grandeza

Quão bela és tu natureza!

Mas eis que surge o homem,

Que sem boa natureza

Vai minando pouco a pouco

Destruindo a rica beleza

De nossa Mãe Natureza!

             Valéria Virginio

sexta-feira, 3 de junho de 2011

DESEJO

Imagem do Google
        
           Ando descobrindo mais da poesia deste grande poeta, um dos maiores do Brasil, e me apaixonando cada vez mais.  Neste poema um resumo do que sempre desejamos à quem gostamos. Aproveitem!

DESEJO – Carlos Drummond de Andrade


Desejo a você...

Fruto do mato

Cheiro de jardim

Namoro no portão

Domingo sem chuva

Segunda sem mau humor

Sábado com seu amor

Filme do Carlitos

Chope com amigos

Crônica de Rubem Braga

Viver sem inimigos

Filme antigo na TV

Ter uma pessoa especial

E que ela goste de você

Música de Tom com letra de Chico

Frango caipira em pensão do interior

Ouvir uma palavra amável

Ter uma surpresa agradável

Ver a Banda passar

Noite de lua Cheia

Rever uma velha amizade

Ter fé em Deus

Não ter que ouvir a palavra não

Nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança

Ouvir canto de passarinho

Sarar de resfriado

Escrever um poema de Amor

Que nunca será rasgado

Formar um par ideal

Tomar banho de cachoeira

Pegar um bronzeado legal

Aprender uma nova canção

Esperar alguém na estação

Queijo com goiabada

Pôr-do-Sol na roça

Uma festa

Um violão

Uma seresta

Recordar um amor antigo

Ter um ombro sempre amigo

Bater palmas de alegria

Uma tarde amena

Calçar um velho chinelo

Sentar numa velha poltrona

Tocar violão para alguém

Ouvir a chuva no telhado

Vinho branco Bolero de Ravel...

E muito carinho meu.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

E O TEMPO PASSOU... JUNHO CHEGOU!

          

Imagem do Google
           E rapidinho a passos largos chegamos ao sexto mês do ano. Como o tempo está passando rápido, de maneira inclemente principalmente para quem está na minha idade. Cada vez mais o tempo se resume a passado e futuro, um passado que é hoje porque já estamos vivendo e transformando em passado e pensando sempre no dia, ou nos dias que virão com planos que escorrem pelos dedos como grãos de areia no ritmo acelerado do tempo. Assim temos que festejar enquanto há tempo! 
           Com o mês de junho vem o frio gostoso, que já chegou a muitas cidades e a sua gastronomia típica, o dia dos namorados, o Corpus Christi e a comemoração de muitos santos da igreja católica acompanhados de suas tradições onde se dança, solta fogos e ardem fogueiras uma combinação perfeita para deixar a alegria preencher os dias deste mês tão rico em festas. E deixemos o tempo voar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...