Páginas

segunda-feira, 7 de maio de 2012

A DOR DA PERDA

Imagem do Google

             Como em todo casamento, eles tinham lá seus altos e baixos, mas a forte personalidade dos dois era sempre um grande desafiador e inimigo deles. Ela, filha única, de tão mimada chegava a ser caprichosa e isto que para ele no início pareceu sedutor foi se tornando cansativo. Os filhos foram chegando, aumentando a responsabilidade e dividindo mais e mais aquele casal. Ele por conta do trabalho viajava muito e as conversas em forma de fofoca iam chegando aos ouvidos dela, era um namorico ali outro acolá e ela foi se fechando no seu mundo e dedicando seu amor e atenção aos filhos. As brigas ficaram frequentes e muito ácidas, os motivos sempre os mesmos, da parte dele o temperamento arredio da esposa, para ela as amantes que se somavam a cada viagem. Os filhos já crescidos presenciavam a tudo aquilo e por mais que amassem o pai, pois apesar de tudo ele se fazia amado e os amava, defendiam a mãe independente do motivo e da intensidade da discussão.
             Um dia no auge de uma daquelas brigas o filho homem se revoltou contra o pai e desabafou seu desapontamento, suas mágoas por não possuir um lar onde o amor e a harmonia caminhassem juntos e derramou sobre o pai a culpa por seu infortúnio e mesmo entre gritos e lágrimas não conseguiu o perdão de seu pai para suas palavras que ali, diante de todos que permaneciam atônitos diante daquela cena bateu-lhe violentamente no rosto. Ninguém naquele breve instante podia supor que aquele momento seria o divisor de águas na vida daquela família. Aquele menino ainda criança, olhou para o pai com um olhar marcado pela dor, mas calou sem sequer chorar. A mãe partiu em direção ao filho para acarinhá-lo e dirigiu ao marido em palavras e olhares todo seu desapontamento, toda a sua dor. As filhas choravam olhando tudo aquilo com imensa tristeza. A noite caiu pesada e sorrateira naquela triste casa.
            Ao acordarem pela manhã, logo percebem que a cama do menino está vazia. Um tumulto se instala e começam as longas e tristes procuras. Ele havia partido e ninguém o vira nem sabia sequer a hora que isto ocorrera. Ninguém conseguia acreditar que aquele menino tão doce e carinhoso pudesse ter tomado uma atitude tão extremada. Dias longos e sombrios foram se passando num clima de intensa dor. Os pais pouco depois do ocorrido se separam marcados por uma grande perda regada a muitas lágrimas.
            Ambos continuaram cada um a sua maneira a recompor a sua vida e buscar encontrar aquele filho querido, mas até o fim de suas vidas aquela busca foi em vão.

26 comentários:

  1. Linda e bem contada história triste e que tantas vezes é real,infelizmente. um beijo, tudo de bom,linda semana, cheia de coisas bem boas! chica

    ResponderExcluir
  2. Não consegui deixar de me comover...
    Muito triste mesmo, mas infelizmente tão real...
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Das poucas coisas boas que a tv oferece eu gosto muito de assistir a um programa chamado O íNDICE DA MALDADE, onde um psiquiatra analisa comportamentos adultos a partir das origens de seus traumas na infância, sejam dentro ou fora da família. A maioria dos casos de delinquência adulta tem suas origens em situações de desamor, abusos, abandonos, maus tratos.

    A responsabilidade para ser pai e mãe vai muito além do que a maioria de nós imagina.

    Muito boa a crônica, Valéria. Grande abraço. paz e bem.

    ResponderExcluir
  4. Olá,Valéria!!!

    Bah!Minha amiga, que inspiração,em?!!Estou toda arrepiada...até porque cresci num ambiente assim...e olha não era nada fácil,e quase fugi também!Minha irmã se desesperou quando me viu saindo e chamou minha mãe.Ela me pegou duas quadras longe de casa(eu tinha 12 anos).Momentos difíceis...levei uma surra.
    Mas passei um ano sem falar com ela depois disso.Me levou para morar com minha avó.Ela me visitava,mas eu não lhe dirigia a palavra.Nossa!Nem lembrava mais disso!
    É difícil ser criança e se sentir um joguete nas mãos dos adultos...eu os achama muito imaturos.Cruzes!Graças à Deus que passou, cresci e sou mais tranquila.
    Beijos!Boa semana!

    ResponderExcluir
  5. Penso que nesse cado o menino crescido sempre foi assim, mas nunca se mostrou.
    E essa dor a perda é infinita.
    Adorei a história.
    Xeros

    ResponderExcluir
  6. Que história triste Val!!

    Meu coração ficou apertado! O pior é que esta história
    Acontece em vários lares... Uma triste realidade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria tudo de bom, estou respondendo a tua visita, me encontraste la no Cacá, eu nasci em Natal, mais moro no Recife, há muitos anos , a minha última filha é pernambucana, o resto vc já sabe.
    Aproveitei li o teu post, achei a história triste mais muito bem redigida, parabéns!
    Um abraço fraterno e muita paz Celina.

    ResponderExcluir
  8. Fomentar mágoas é o veneno fatal,a explosão vem de onde menos se espera e são normalmente as mais fortes e definitivas.
    Conto muito forte e real
    beijo Val..uma semana de muita paz

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente...acontece pior é que a família é nosso maior bem...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  10. Oi Valéria
    Obrigada pelas belas palavras deixadas lá no bloguinho.
    A história é muito dramática, contudo, nos deparamos com casos reais de famílias que sofreram e passaram por tudo isto.
    Bjo e boa noite.

    ResponderExcluir
  11. Uma pena desfazer uma família pela falta de diálogo e compreensão! As mágoas se acumular e um dia acabam explodindo! Para o garoto, foi a gota d'agua que transbordou o copo...Uma pena porque, sem família seremos sempre incompletos!

    Beijão

    ResponderExcluir
  12. Parece uma dor que começou com a perda do respeito. Muito triste... :(

    ResponderExcluir
  13. Oi Valéria,
    Que história triste!!!
    Qdo um casamento acaba, não vejo pq ficar encompridando, pois sofrem todos, não apenas o casal.
    Beijos 1000 e uma semana maravilhosa para vc.

    SORTEIO “Chá do Chapeleiro Maluco”
    http://www.gosto-disto.com/2012/04/sorteio-cha-do-chapeleiro-maluco.html

    ResponderExcluir
  14. Oi, Valéria, é, realmente, uma história muito triste e bem real. Mais real e comum do que gostaríamos que fosse, né não?
    Sofreram todos, sofrem e sofreráo para sempre.
    Bjsssssssssssss, quérida!

    ResponderExcluir
  15. Oi Val!!!

    Acho que é melhor não casar... ficar namorando a vida toda... acho que é por isso que hoje em dia as pessoas não querem mais casar...
    Também adoro suas visitas e sua opinião lá no meu blog!!!
    Uma ótima semana pra você!!!
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  16. Valéria, que história triste, Deus do céu!!! Deu um aperto no coração e pensar que essas brigas são quase comuns em tantos lares! Nem é bom falar! Fique na paz! Beijão e obrigada pela presença sempre!

    ResponderExcluir
  17. Oi amiga!
    Grande escritora, um conto que relata a nossa realidade. Infelizmente muitas vezes uma família que começa tão bonita e unida pode terminar assim tão tristemente. Uma ótima semana pra você, bjs

    ResponderExcluir
  18. A desestruturação familiar é a causa de muitos males, doenças psíquicas e tantas outras coisas. A história é triste mas é a realidade de muitas famílias.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. É minha querida, situações críticas parecidas a esta é muito mais comum do que supomos. Lamentável ver uma família se destroçar, pelo comportamento do pai, sim, que como pais deveríamos ser os melhores exemplos para nossos filhos e triste pela mágoa que causou o afastamento de um filho querido.
    Beijinhos amiga,
    Valéria

    ResponderExcluir
  20. Crises familiares que muitas vezes chega-se ao extremo, tendo um dos membros com bode expiatório para recolocar a vida em movimento.
    Triste o desfecho do seu conto.
    bjs

    ResponderExcluir
  21. Muito triste, Valéria. A desarmonia faz enormes estragos entre os que a vivem e os que a presenciam. Infelizmente, está presente em muitos lares. E sou favorável a que cada um siga o seu caminho, depois das tentativas e dos diálogos, se não chegarem a um consenso. Melhor manter um relacionamento de respeito, à distância, sem comprometer o desenvolvimento dos filhos, em todos os sentidos.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  22. O desequilibrio e seus estragos.
    Se sair da relação doi, ficar é uma ferida em expansão...
    Gde abraço, em divina amizade.

    ResponderExcluir
  23. Nossa que triste, por isso sempre acho que quando um casamento não está dando certo deve haver a separação, falo por experiência com meus pais, mil vezes terem se separado do que nós os filhos termos presenciado tantas coisas que nos causam dor ao lembrar hoje.
    Quando não há harmonia, isso reflete no comportamento dos filhos mais tarde, em forma de bloqueios e traumas que poderiam ter sido evitados, enfim...
    Beijos Valéria e ótima semana!

    ResponderExcluir
  24. Uma mãe é uma pessoa que ao ver que só ficam quatro bocados de torta de chocolate tendo cinco pessoas,
    é a primeira em dizer que nunca gostou de chocolate.
    Às vezes, as palavras se perdem na expressão da palavra Mãe.
    Nenhum dicionário definirá a magia do seu significado e,
    em todos os idiomas, traduz o mesmo sentimento:
    Ser mãe. No decorrer dessa semana só levarei mensagem do dia das mães.
    A você mãezinha que viaja comigo meu eterno carinho e agradecimento.
    Ser mãe é graça e benção por isso essa semana será só nossa.
    Mães de todo esse mundo . Feliz dia das mães. Dia das mães é todos os Dias.

    ResponderExcluir
  25. Para ser pai tem que ter vocação. Um homem que não assume a própria vida é um covarde. O filho soube demonstrar mais coragem e caráter.
    Existem muitas mulheres segurando relações fracassadas esperando o homem amadurecer, mas isso é quase que impossível. Chega a ser hereditário, famílias de homens infiéis e mulheres amargas. Se a história é real, fico pensando na tristeza dessa mãe, aguentar um estrupício a vida toda e depois perder um filho por causa desse mesmo estrupício! Argh!
    Beijuzinhos revoltosos!!

    ResponderExcluir
  26. Valéria
    Uma história triste linda
    Pena que terminou com a perda do filho.
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...