Páginas

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

UM MORADOR INESPERADO

 
Imagem do Google
              Todo dia passava de ônibus pela mesma rua e lá estava aquela casa chamando sua atenção. A casa tinha uma placa de Vende-se. Era bem simpática e bem localizada, embora o mato tomasse conta de todo o jardim emprestando a ela um ar de abandono. Anotou o número do telefone da imobiliária e começou a sonhar e pensar nas transformações que poderia fazer por lá. Contatou o corretor e marcou uma hora para visita.
               Lá chegando começaram a percorrer toda a casa. O imóvel embora há tempos fechado já impressionou à primeira vista. Era tudo muito bom carecendo apenas de alguns reparos e renovação. Ela ia sempre à frente observando tudo nos mínimos detalhes seguida pelo marido e pelo corretor.
               Entretidos nas conversas mais práticas do negócio os dois se distanciaram dela que se encaminhou para a área de serviço da casa. Dirigiu-se para a dependência de empregada e abriu lentamente a porta, olhou tudo com cuidado, entrou no banheiro, deu conta de tudo e ao se virar para sair olhou para a porta do quarto e gritou. – Um bichooooooo!
                Bem sentado em cima da porta um morador inesperado, um lagarto, um iguana verde e grande com sua cauda imensa permanecia imóvel a olhá-la. Um arrepio percorreu todo o seu corpo! Como sairia dali, como passaria por aquela porta novamente? A sensação de ter passado por ela, empurrando-a e imaginando que ele poderia ter caído sobre ela, imobilizou-a. Foi um segundo de pensamentos aterrorizantes que durou uma eternidade.
                 Alertados pelo grito, os homens correram, o marido para salvá-la, o outro entre um passo para frente e outro para trás, na dúvida correu para longe. Convencida pelo marido de que o pobre e indefeso lagarto nada faria, ela correu para longe aterrorizada, mas aliviada. Ele, o lagarto continuou lá como se nada houvesse acontecido e perturbado a sua rotina.
                Bom, por motivos que não cabem aqui, o negócio não foi fechado e nem o bicho despejado, pelo menos por enquanto. rsss
                Um excelente final de semana para todos!

16 comentários:

  1. Nooooooossa, que susto! Se fosse eu, teriam ouvido meus berros de muiiiiiiiiito longe!!

    E, também não fecharia o negócio, pensaria ter toda família deles lá dentro,rsrs beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Aiiiii, eu não voltaria mais lá, já teria saído dos meus sonhos adquirir essa casa.
    Minha querida, morro de medo de determinados bichos, e esse aí parece ser o "dono da casa".
    Acho que mesmo depois que o tirassem dali, não teria coragem de me mudar, não dormiria em paz achando que ele pudesse aparecer.

    Gostei desse texto, me prendeu a atenção, mas fala sério quero morar nesse lugar não.
    rsrs

    Beijos querida Valéria.
    Tenha uma sexta de muita paz e alegria.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia,Valéria!!!!

    Belo conto!!!!Que susto em?! Mas eu seria um pouco mais corajosa...rsrs Não pegaria o bicho,mas passar por ele tudo bem!rs E claro, se caisse na minha cabeça...o susto seria imenso e a dor também, já que estes lagartos parecem bem robustos!rs Já vi um de perto, parecem minis dinossauros!rs
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Acho que o lagarto não queria vender a "sua" moradia. Está no direito dele. Feliz dele que o negócio não foi fechado. hehehe.
    Muito bom, querida Val.
    Lindo final de semana pra você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. kkk, será que o Bicho foi o culpado pelo não fechamento do negócio, eles tinham gostado tanto da casa até então, seria esse lagarto um morador sinistro que espanta as pessoas de lá rsrr adorei! bjoooss

    ResponderExcluir
  6. KKK...Que susto,não? Adorei seu conto e pode ser muito real!Bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  7. Este lagarto é persistente em seu propósito, o de não se mudar,kkkkkkkk
    Os interessados é que tiveram de mudar-(se), ao menos de interesse.
    Bom fim de semana, Valéria.
    Bjinhos,
    Calu

    ResponderExcluir
  8. Oi Valéria
    Legal, curti até. Também ficaria super cismada em comprar a casa, uma iguana, bicho danado de feio, um lagartão.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Valéria,
    eu não tenho boas recordações com esses lagartos. Certa vez apareceu um no vaso do meu banheiro. Não sei como. Meu pai teve que tirar o bicho. Difícil foi tirar o trauma de poder usar um vaso sem medo de um lagarto aparecer!

    beijinhos :**
    Carol
    www.umblogsimples.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Val!!!

    Muito divertido o seu conto!!! Alguns bichos são mesmo assustadores e engraçados.
    Um ótimo fim de semana!!!
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  11. Oi Valéria,
    que susto não? O lagarto definitivamente não queria deixar o seu lar.
    Quando dava aulas, algumas vezes, apareciam uns lagartos nos muros da escola e aí era um alvoroço entre os alunos e lá se ia a atenção na aula e eu acabava me divertindo também.
    Seu texto me trouxe esta lembrança. Adorei!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  12. Hahahaha!! Adorei o final inesperado!
    Ainda bem que ficou só no susto.
    Bjos, bom domingo e boa sorte na busca!

    ResponderExcluir
  13. Eu sairia correndo rss tenho medo demais desses bichos.
    Um domingo bem lindo
    bjs

    ResponderExcluir
  14. kkkkkkkkkkkkkkkkk Nem atrapalharam o conforto do estranho morador, pois ele estava em casa. Mas posso imaginar o susto. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  15. Nossa! Eu também daria um bom grito. Que susto!
    Bom final de domingo.
    bjs

    ResponderExcluir

  16. (rsrsrsrs)

    Com certeza, este morador estava ali para impedir a realização do negócio. Talvez um sinal divino, quem sabe?

    Adorei ler, Valéria. Suas narrativas são excelentes.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...