Páginas

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

SANTIAGO - OS PARQUES DA CIDADE

               Faz tempo que não falo aqui sobre viagens, se bem que viajei para o Peru e voltei a visitar o Chile. No início de 2012 fizemos esta curta viagem à Santiago. Não foi a primeira vez que escolhemos esta cidade como destino. Gostamos muito de Santiago, é um destino imperdível e que nos conquistou desde nossa primeira viagem. Por sua localização privilegiada ela possui uma paisagem única. Desta vez escolhemos ficar no bairro de Providência. Sempre priorizamos em nossas viagens uma boa localização do hotel com a possibilidade de explorar a cidade a pé e aqui não foi diferente. A cidade é muito organizada, limpa e fácil de andar por ela. Os vários parques e praças distribuídos pelos diversos bairros emprestam a sombra de suas árvores para uma boa caminhada. Priorizamos nesta visita aproveitar o final do outono com seus tons avermelhados para desfrutar da boa temperatura e caminhar aproveitando do que aqui não faltam, as belas construções e os contrastes arquitetônicos, as várias possibilidades de programas culturais e uma diversidade culinária que foram nossas opções de programas, portanto aqui veremos muitos passeios ao ar livre e uma ótima experiência gastronômica sem esquecer também de visitas à exposições, para alimentar a alma, felizes ficaram nossos sentidos, refestelaram-se. Desculpe os leitores, mas me empolgo em posts de viagem e me torno prolixa, o post está extenso.
              A uma curta caminhada do hotel no bairro da Providência fica o Parque das Esculturas. Localizado às margens do rio Mapocho este grande parque é um museu a céu aberto que possui uma mostra permanente de várias obras com vários tamanhos, formas e materiais de artistas contemporâneos do país. A parceria com a natureza é perfeita, um refúgio de paz em meio à agitação da cidade.


               Neste parque ainda existe um grande salão de exposição, aberto ao público com mostras de artistas chilenos, na época as obras compunham a exposição Anima Animus de Lisi Fox e Joaquín Mirauda com peças em materias como acrílico e bronze, mármore e basalto para traduzir em arte os conceitos arquetipais da psicologia de Carl Jung.

Em outro dia saímos do hotel e fizemos uma longa caminhada atravessando vários bairros da cidade sempre desfrutando da sombra dos parques e a beleza das praças por uma grande avenida que se transforma ao longo do trajeto em várias avenidas diferentes, 11 de setembro, Providência e termina no centro da cidade como Av. Libertador Bernardo O’Higgens, a principal avenida da cidade e que possui alguns dos mais importantes e belos edifícios da capital, inclusive o Palácio de La Moneda, o nosso destino. Lá mais uma vez visitamos o Centro Cultural que na ocasião apresentava as exposições El Universo de La Índia, com duas salas a Oriente e a Poniente, uma mostra de obras sobre as principais religiões originárias da Índia com seus deuses, semideuses e seres sobrenaturais.

Em outro espaço menor, mas nem por isso menos interessante uma exposição interativa sobre a arte de pintar e cantar de Violeta Parra, uma mostra permanente sobre a vida desta grande artista e folclorista chilena.
Imagens dos parques e seus monumentos ao longo da avenida e no final o Palácio de La Moneda
         
               No dia seguinte decidimos ir ao Cerro San Cristóbal, já havíamos ido lá em outra oportunidade, mas muito rápido, iríamos dedicar agora mais tempo a este parque imenso e um dos pontos mais altos da cidade. Na subida do funicular a primeira parada é no Zoológico, aí ficamos e fizemos a nossa caminhada em ziguezague que é como se apresenta a distribuição do espaço. Diferente de outros zoológicos, o de Santiago é muito organizado, limpo e os animais embora dê aquela aflição por eles estarem presos e fora de seu habitat, são bem cuidados e bonitos. Subimos novamente e o funicular nos levou ao topo do morro que possui uma vista panorâmica muito bonita de toda a cidade e um santuário com a imagem de Nossa Senhora da Conceição que lá do alto é como se estivesse a proteger à cidade.





                  De lá pegamos a trilha principal e decidimos descer a pé contornando todo o morro. Foi uma longa caminhada encontrando apenas atletas que usam as trilhas para praticar seus esportes, correr, caminhar e andar de bicicleta. A natureza ali impera nos oferecendo a sua tranquilidade e a busca de harmonia. Nas diversas trilhas que se abrem no parque se chega a diversos parques menores, local para camping, espaços para pique-nique, um restaurante o Camino Real onde almoçamos, jardim botânico e jardim japonês. Não sei se por consequência da estação, com a vegetação perdendo suas folhas avermelhadas, não havia ali muito cuidado, o jardim japonês que é sempre muito florido e colorido estava desprezado, sem vida. Foram muitos quilômetros de caminhada em contato com uma natureza exuberante.                                                





Imagens ao longo da caminhada descendo o Cerro San Cristóbal
                                                
              Outro parque que visitamos no outro dia foi o Parque Bicentenário. Este parque fica no moderno bairro de Vitacura e são vários hectares de áreas verdes, com várias trilhas para caminhadas, belos jardins, playground, uma bela lagoa artificial com peixes e cisnes-de-pescoço-negro, flamingos e um dos melhores restaurantes da cidade o Mestizo, onde almoçamos.






          
              Nesta viagem sem aquela preocupação de turista de primeira viagem ávido por tudo conhecer, podemos sentir a cidade com mais carinho desfrutando de sua acolhida sem corre-corre. Santiago é bem moderna e vem cada vez mais sendo um destino procurado e por isso prima em satisfazer seus visitantes o que resulta em melhores serviços inclusive na gastronomia, o próximo tema por aqui.
               E para todos que por aqui passarem uma ótima semana!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...