Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2011

COMPLICAR... PRA QUÊ?

Imagem retirada do Google
    
  Estamos cansadas de ouvir que a vida é simples, nós é que complicamos. Que tal procurar simplificá-la?

          Recebi este texto por e-mail que infelizmente veio sem autoria, por favor, quem souber me avise! Achei-o muito interessante! Descreve de forma divertida as paranóias que passam a grande maioria das mulheres nos dias de hoje e as formas mais saudáveis de sair delas. A primeira vista podem parecer chavões, mas têm um fundo de verdade transformador. O texto está cheio de idéias... Aproveitemos então!

       “ Se eu tivesse que escolher uma palavra – apenas uma – para ser item obrigatório no vocabulário da mulher de hoje, essa palavra seria um verbo de quatro sílabas: descomplicar. Depois de infinitas (e imensas) conquistas, acho que está passando da hora de aprendermos a viver com mais leveza: exigir menos dos outros e de nós próprias, cobrar menos, reclamar menos, carregar menos culpa, olhar menos para o espelho. Descomplicar talvez seja o atalho mais seguro para chegarmos à tão falada qualidade de vida que queremos – e merecemos – ter.
          Mas há outras palavras que não podem faltar no kit existencial da mulher moderna. Amizade, por exemplo. Acostumadas a concentrar nossos sentimentos (e nossa energia...) nas relações amorosas, acabamos deixando as amigas em segundo plano. E nada, mas nada mesmo, faz tão bem para uma mulher quanto a convivência com as amigas. Ir ao cinema com elas (que gostam dos mesmos filmes que a gente), sair sem ter hora para voltar, compartilhar uma caipivodca de morango e repetir as histórias que já nos contamos mil vezes – isso, sim, faz bem para a pele. Para a alma, então, nem se fala. Ao menos uma vez por mês, deixe o marido ou o namorado em casa, prometa-se que não vai ligar para ele nem uma vez (desligue o celular, se for preciso) e desfrute os prazeres que só uma boa amizade consegue proporcionar.
          E, já que falamos em desligar o celular, incorpore ao seu vocabulário duas palavras que têm estado ausentes do cotidiano feminino: pausa e silêncio. Aprenda a parar, nem que seja por cinco minutos, três vezes por semana, duas vezes por mês, ou uma vez por dia – não importa – e a ficar em silêncio. Essas pausas silenciosas nos permitem refletir, contar até 100 antes de uma decisão importante, entender melhor os próprios sentimentos, reencontrar a serenidade e o equilíbrio quando é preciso.
          Também abra espaço, no vocabulário e no cotidiano, para o verbo rir. Não há creme anti-idade nem botox que salve a expressão de uma mulher mal-humorada. Azedume e amargura são palavras que devem ser banidas do nosso dia a dia. Se for preciso, pegue uma comédia na locadora, preste atenção na conversa de duas crianças, marque um encontro com aquela amiga engraçada – faça qualquer coisa, mas ria. O riso nos salva de nós mesmas, cura nossas angústias e nos reconcilia com a vida.
          Quanto à palavra dieta, cuidado: mulheres que falam em regime o tempo todo costumam ser péssimas companhias. Deixe para discutir carboidratos e afins no banheiro feminino ou no consultório do endocrinologista. Nas mesas de restaurantes, nem pensar. Se for para ficar contando calorias, descrevendo a própria culpa e olhando para a sobremesa do companheiro de mesa com reprovação e inveja, melhor ficar em casa e desfrutar sua salada de alface e seu chá verde sozinha.
          Uma sugestão? Tente trocar a obsessão pela dieta por outra palavra que, essa sim, deveria guiar nossos atos 24 horas por dia: gentileza. Ter classe não é usar roupas de grife: é ser delicada. Saber se comportar é infinitamente mais importante do que saber se vestir. Resgate aquele velho exercício que anda esquecido: aprenda a se colocar no lugar do outro, e trate-o como você gostaria de ser tratada, seja no trânsito, na fila do banco, na empresa onde trabalha, em casa, no supermercado, na academia.
          E, para encerrar, não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser indissociáveis da vida: sonhar e recomeçar. Sonhe com aquela viagem ao exterior, aquele fim de semana na praia, o curso que você ainda vai fazer a promoção que vai conquistar um dia, aquele homem que um dia (quem sabe?) ainda vai ser seu, sonhe que está beijando o Richard Gere... Sonhar é quase fazer acontecer. Sonhe até que aconteça. E recomece, sempre que for preciso: seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares. A vida nos dá um espaço de manobra: use-o para reinventar a si mesma.
          E, por último (agora, sim, encerrando), risque do seu Aurélio a palavra perfeição. O dicionário das mulheres interessantes inclui fragilidades, inseguranças, limites. Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita, a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo, a esposa nota mil. Acima de tudo, elimine de sua vida o desgaste que é tentar ter coxas sem celulite, rosto sem rugas, cabelos que não arrepiam, bumbum que encara qualquer biquíni. Mulheres reais são mulheres imperfeitas. E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres. Viver não é (e nunca foi) fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem (e a busca da perfeição pesa toneladas), a tão sonhada felicidade fica muito mais possível."

              Então você concorda que a vida é feita de coisas simples, nós é que a complicamos? Então vamos agora ouvir mais nosso coração e tentar descomplicar, ver as coisas com outros olhos, não de uma hora para outra claro, mas aos poucos, começando lentamente... Respirando fundo, sorrindo e deixando acontecer...

21 comentários:

  1. Oi Valéria,
    Eu sei que sou um bocado complicada, mas será que eu não gosto de ser assim???
    :)))
    Bjkas e uma noite maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto,pena mesmo que não saibamos a autora, pois merece justa homenagem pela beleza e sensibilidade com as reflexões postas.
    Sou mesmo muito complicada, as vezes e tenho realmente que me submeter ao exercicio de exigir menos de mim.
    A propósito, Valéria, este é o Blog do CMEI que eu trabalho. No meu, pessoal mulhermaeprofessora.blogspot.com
    tem um conto que acredito irá gostar de ler.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Ei Valéria!
    Tudo depende de como vemos as coisas, simples ou complicada só depende da gente!
    A vida é da cor do tamanho que a gente vê!
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Val!!!

    Excelente texto!!! Concordo plenamente com cada palavra, não conhecia este texto e fiquei até curiosa de saber quem é a autora, tomara que alguém descubra e coloque aqui, se for de algum livro quero ler, tem coisas que vale muito à pena mesmo compartilhar!!!

    Bjus

    Bia

    ResponderExcluir
  5. Valéria...adorei este texto, caiu como uma luva!!Pois, em muitas coisas descritas estava me enxergando..é asim.Um tempo atrás eu era paranóica para limpar casa, todo dia!Larguei e sentei para assistir filmes comas crianças...Dedico as minhas caminhadas, a minha aula de inglês, um sonho e uma realidade agora, Estou fazendo "teologia", para entender um pouco, e se me dá vontade eu passo o dia no salão.Coisa boaaaaaaaaa...Adorei seu comentário sobre o Bom Princípio...hehehe Beijossssssss

    ResponderExcluir
  6. Oi!!!!!

    Betty!
    E quem não é?! Eu muitas vezes me pego complicando, mas tento descomplicar, sou muito objetiva.


    Ivana!
    Realmente o texto é muito bem escrito e estou doida para descobrir a autora... Quando descomplicamos fica mais fácil, mais leve, vamos exercitar! rsrs


    Gilmara!
    Está certíssima! Nós é que dependendo do nosso momento, vemos as coisas com simplicidade ou não. É um problema de bem estar! Não é assim tão simples, mas passa por aí.


    Bia!
    Também gostei muito e procurei postar para ver até que ponto levamos a vida sem complicar tanto. É um texto claro e bem humorado.


    Bel!
    Sabe que eu também tive estas neuras, mas fui relaxando mais e aproveitando mais também. Meu marido é que faz tempestade em copo d'água de tudo e eu digo, deixa pra lá, não leve a vida tão a sério...rsrs

    Beijão para todas e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria

    Verdadeiro este texto. Gostei muito.
    Somos mesmo muito complicadas e confesso que eu mesma descomplico quando a coisa aperta. rs
    Mas acho que isso é uma característica feminina, bem "complicadinha" de aceitarmos.
    hehe
    Excelente final de semana.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  8. Oi Nilce!
    Os temas abordados são bem do universo feminino, mas que tem homem muito complicado e que vê obstáculos em tudo, isso tem! Tenho um aqui!rsrsrs. Acho que nos atamos a detalhes que podem sem relevados para poder desfrutar o que a vida tem de melhor. Beijão e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  9. Oi Valéria,
    Obrigada pela visita no degustando!! bom final de semana pra vc tb!!! qto ao seu post: Complicamos muito a vida...rsrsrs todos os dias vemos da nossa janela mesmo os pássaros, a natureza maravilhosa, o céu azul ou não, mas um céu lindo acima de nós, e... quando olhamos um pouco mais abaixo, na rua, na esquina, na calçada, veremos alguém brigando, discutindo, buzinando....rsrsrs complicando a vida!! bjs no coração!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana!
    É verdade! Nunca damos valor a estas mínimas coisas que poderiam deixar nossos dias mais leves, é a vida! Um dia quem sabe aprendamos!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  11. Oi Val!
    Que saudades de você!
    Hehe
    Eu amo viver a vida simplismente.
    Mas às vezes complicar um pouquinho é divertido.
    Amei o post.
    xoxo

    M.

    www.lavieenrosemoda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Valéria, tudo bem? Vim aqui para agradecer sua visita e pedir desculpas por não ter vindo antes.Ainda bem que eu vim pois adorei seu blog! Quanta coisa incrível para se ler e para ver também. Comecei a ler os posts e não consegui parar. O post do dia 1 de abril: Santiago- Restaurante-Boragó...realmente me conquistou. Fui lendo, linha por linha e depois das descrições dos pratos comecei a saltar linhas pois estava doida para chegar na sobremesa, que na verdade eram 3. Maravilha! Gostei tanto dos posts que li que acabei ficando por aqui. Um abraço. Desculpe pelo discurso tão grande.
    Gostei muito do post: "Complicar...Pra quê? e me identifiquei com "quase tudo". Rsrsrs...
    PS: Será que escrevi certo o nome do restaurante?

    ResponderExcluir
  13. Muito bom! Como homem, posso atestar que a mulher interessante é assim mesmo... imperfeita. Thanks por compartilhar, querida!
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi!!!!

    Marseille!
    Que bom quando você aparece!
    Você ainda está naquela idade gostosa que nada é complicado, como você mesma diz, complicar é divertido. Aproveite muiiiito esta fase!


    Sílvia!
    Seja bem vinda ao meu blog!
    Obrigada pelas palavras simpáticas!
    Realmente o Boragó, é este mesmo o nome, é sensacional e uma experiência única em se tratando de restaurantes. Quanto a complicar, sempre nos identificamos com alguma coisinha, mesmo sem querer somos complicadas as vezes.


    Ernani!
    Ótimo ouvir a opinião do outro lado interessado!rsrs Você falando isso até me deu uma idéia , um texto que também recebi sobre a imperfeição da mulher, vou postar depois. Gostei!

    Cintia!
    Então tudo já deve estar nos seus devidos lugares, sem "complicação", Não é? Já está passeando pela blogosfera! Que bom!


    Beijão para todos e uma excelente semana!

    ResponderExcluir
  15. Oi Valéria...que texto mais legal.. sem dúvida alguma precisamos descomplicar cada vez mais e tornar a vida mais leve, cheia de alegrias, mais plena de vida.
    Grata por sua companhia no meu Blog, seja bem vinda...voltarei com certeza...
    Beijos e ótimo domingo...
    Valéria

    ResponderExcluir
  16. nós e essa nossa mania de complicar tudo não é mesmo? boa semana

    ResponderExcluir
  17. Oi!!!!!

    Valéria!
    Seja bem vinda você também ao meu blog!
    É, gostei também do texto, umas receitinhas para descomplicar, esperando que funcione!rsrs

    Welze!
    O importante mesmo é ver a vida dessa maneira maravilhosa como você a vê do alto do seu bom humor, não é mesmo?

    Beijão para as duas e uma semana maravilhosa!

    ResponderExcluir
  18. Minha amiga,

    Acabo de vir do Blog Casa da Alquimia, onde dizíamos exatamente isso...toda mulher tem que ter a capacidade de ser feliz por ela própria, de se aceitar, de saber que a melhor festa acontece é dentro de nós!

    é dificil, mas vamos construindo...agora, depois dos 40, me aceitar ficou muito mais fácil...rsss...sou uma mulher muito mais resolvida, e muito mais feliz comigo mesmo!

    Um abraço,
    Boa tarde!

    ResponderExcluir
  19. Oi Renata!
    Obrigada pela visista!
    É verdade, também sinto o mesmo, hoje estou mais tolerante e assim mais aberta a vida, desfrutando-a melhor!
    Precisamos buscar mais a essência das coisas que realmente importam. Beijão

    ResponderExcluir
  20. adorei esse outro texto bacana e isso ai dojeito que você falou nossa como você escreve bem, estou encantada.

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...