Páginas

segunda-feira, 14 de março de 2011

PASSEANDO EM SANTIAGO - 2º DIA

         Traçado um roteiro, que roteiro! Desculpem, mas vou ser um tanto prolixa... No dia seguinte começamos pela atração mais próxima ao hotel, o Palácio de La Moneda, uma construção de estilo neoclássico que inicialmente abrigava o edifício da Casa da Moeda e depois foi convertido na sede do governo do Chile. É um belo edifício com uma bela esplanada e está ladeado por duas grandes praças, a Praça da Cidadania e a da Constituição.

A Praça da Constituição
A Bandeira do Centenário

A Praça da Cidadania
        A Praça da Cidadania, voltada para a grande Avenida Libertador Bernardo O’Higgins, com suas fontes e espelhos d’água possui em seu subsolo um centro cultural, O Centro Cultural Palacio La Moneda, com acesso pelas escadarias nas laterais da praça abriga as mais diversas exposições permanentes e provisórias sobre o Chile, seu povo, cultura e costumes. Aí podemos visitar as exposições: Epicentro, Território Artesanal, uma mostra das obras representativas da diversidade de ofícios nas peças de cerâmica de Quinchamalí, Pilén, Pañul, Vichuquén, Quebrada de las Ulloa, Pomaire, Gorbea; os tecidos de Doñihue y Mapuche; os trabalhos em cerâmica de Coya; bordados de Ninhue y Copiulemu; cestaria de Chimbarongo, Pichidegua, Rari, Hualqui, Huentelolén, Puerto Saavedra; jóias mapuche y talhados em madeira, entre outras. Visitamos também uma mostra fotográfica do explorador italiano Alberto de Agostini, com belíssimas fotos de indígenas e paisagens magalânicas ou patagônicas. A mostra Arte en América, dividida em El viagem e El Sueño fala sobre a diversidade de identidades da América, a partir das influências externas como os movimentos migratórios, e os conflitos políticos e sociais, através de diversas técnicas e formatos.    


        Achei estas frases muito significativas dos temas das exposições(ao ler invertam os pontos de exclamação e interrogação que no nosso teclado é impossível fazer).

         El Viage
Si pudieres tomar tus más preciados recuerdos entre tus manos ? qué persona, qué lugar y qué momento escogerias?

         El Sueño
El sueño nos permite traspasar El limite de La realidad y habitar em El mundo de los emociones, fantasias y placeres. Alguns dicen que soñarcuesta nada, pero simples es posible imaginar um mundo distinto. ! Ce invitamo a soñar uma América mejor!

         Em outro espaço havia a exposição Obra Útil - Diseño de Artistas. Peças do mobiliário e outras peças funcionais criadas a partir de um olhar menos conservador com a intenção de unir a utilidade e a arte, será? A arte é do tamanho da imaginação do seu criador, ele tem a liberdade de brincar, de ousar, e aí existe uma mistura dos dois nestas recriações, uma releitura bem humorada do tradicional.

Cadeira cavalo de Caterina Purday
e Berço assento de Pilar Ovalle
Retrato matrimonial de Francisca Nunez
Uma Mulher comoda como um sofá
de José Balmes
        Atravessando a Bernardo O’Higgins fomos conhecer a tão falada esquina Paris-Londres no Bairro Paris–Londres declarada zona histórica, são duas estreitas ruas de paralelepípedos que se cruzam e que tem como características em suas construções, mansões dos anos 20, a representatividade da arquitetura européia em Santiago.

        Contornando o Cerro Santa Lucía...


 A bela colina de onde se tem uma vista privilegiada bem no centro da cidade, com sua imponente escultura de netuno na fonte da Terraza Netuno, fomos ao Museu de Belas Artes localizado no Parque Florestal, um prédio majestoso em estilo neoclássico com toques de Art Nouveau e uma bela cúpula em estrutura metálica, onde se pode encontrar uma exposição permanente dos artistas mais importantes do Chile e temporárias de artistas nacionais e estrangeiros. Lá visitamos as exposições Fuera de Lugar-Consideraciones sobre Arte, Ciudad y Urbanismo, que nos convida a passear pelas transformações sociais (não só, da natureza também ) que modificaram a qualidade de vida nas cidades, as moradias que fogem do convencional, que estão fora de foco, principalmente depois do terremoto, de como ele afetou a vida dos chilenos.
        E visitamos também a premiada exposição La Victoria de todos, aqui o cotidiano e o espírito de unidade de uma comunidade são captados pela lente de fotógrafos como Oliver Hartley , Arthur Conning, Teodoro Schmidh e Samuel Shats que fizeram de certa forma uma homenagem àquelas pessoas que como chilenos sobreviveram a fortes barreiras culturais e sociais e superaram a tudo juntos. As imagens sintetizam de maneira perfeita a expressão, o sentimento daquelas pessoas. Já o fotógrafo Andreas Figueros em sua exposição Maneiras de ser, faz protagonistas os jovens que transgridem que fogem do convencional, estereótipos agrupados em tribos urbanas.
        Percorrendo o museu encontramos um acervo com obras de pintura e escultura chilena, pintura espanhola e italiana e escultura africana mescladas com obras das exposições temporárias e intinerantes. Foi uma viagem pela cultura chilena!


        Saindo do museu atravessamos o Parque Florestal em sentido contrário à corredeira do rio Mapocho em direção à ponte Pio Nono que atravessamos para chegar ao bairro Bellavista, conhecido como o bairro boêmio de Santiago devido ao grande número de bares, restaurantes, cafés e teatros, é através desta ponte que chegamos direto na famosa feirinha de artesanato do bairro, a poucos metros encontra-se o Pátio Bellavista que promoveu como centro gastronômico um incremento ao bairro por oferecer uma diversidade maior de restaurantes, lojinhas de arte, bares, cafés, tem até hotel e agência de viagens, um incentivo maior ao turismo. Lá se encontra o tão falado restaurante Como água para Chocolate, que visitamos na viagem anterior e gostamos muito, porém já encontrei divergências de opiniões... Continuando o nosso passeio seguimos a calçada do Pátio em direção a La Chascona, a casa do poeta Pablo Neruda que fica aos pés do Cerro San Cristóbal. Agendamos nossa visita para dali uma hora e fomos ao Cerro. Ele é o próprio Parque Metropolitano, um grande parque como pulmão verde da cidade, um dos vários mirantes de Santiago. Para se chegar ao alto pode-se ir por suas trilhas, de funicular ou de teleférico (esse há algum tempo encontra-se quebrado). No parque além dos mirantes naturais existe um zoológico, uma capela, jardins como o japonês e o botânico, trilhas, praças, um espaço com um palco e o Santuário, do que eu tenho conhecimento afinal ele é imenso, acho que chegar cedo e explorar o parque durante todo o dia é o ideal. Subimos de funicular e fomos até o Santuário que é muito bonito com uma imagem bem delicada de Nossa Senhora da Conceição de 14metros sobre um pedestal de 23 metros. A visão que temos da cidade e da cordilheira lá do Cerro é belíssima, você tem Santiago a seus pés!

Subindo de funicular
Paisagens de Santiago vistas do Cerro San Cristobal

O Santuário


Descendo de funicular
          Como tínhamos nossa hora marcada para a visita à La Chascona tiramos nossas fotos e descemos de funicular, terminamos o passeio com a minha esperada visita a casa de Neruda, que será descrita em um post específico. Este foi realmente um belo e proveitoso dia!




22 comentários:

  1. Valéria
    Dez! Nota Dez! Adorei esse post! Tão rico de detalhes, boas fotos, muito bom! Serve como um bom guia. Sei que vou consultar sempre quando for ao Chile.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. não sentiu um peso na sua bagagem? é que estou viajando com você. que delícia de passeio e que fotos belas. adorei tudo. boa semana

    ResponderExcluir
  3. Adorei os chapéus... Seria tentador minha vontade de carregá-los para casa... rs
    Xero!

    ResponderExcluir
  4. Oi Jorge!
    Obrigada! Ficou extenso, mas não achei legal quebrar a sequência do dia. Visitar museus tem isso precisamos dizer o que vimos e eu sou detalhista, rsrs...

    ResponderExcluir
  5. Oi Welze!
    sÒ você mesmo...Minha mala está levinha, levinha pois estou levando vocês com prazer, nesta viagem!

    ResponderExcluir
  6. Oi Pipa!
    É verdade! São tantas coisas bonitas confeccionadas por verdadeiros artistas, artesãos de mão cheia que deixaram sua marca para a posteridade.

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria!!!
    Que post maravilhoso!!! Que riqueza de informações, cultura, história, paissagens e fotos, um lugar inspirador, me fez lembrar o filme "O carteiro e o poeta" de Pablo Neruda e então ao término do texto tu chega na casa do poeta, realmente encantador.
    Beijos
    Bia

    ResponderExcluir
  8. Oi Bia!
    Fiz esta viagem inspirada em Neruda, visitei as três casas dele, vão ser descritas em um post em separado, merece não? Voltei deslumbrada!

    ResponderExcluir
  9. Oi Valéria,
    Qtos dias vc ficou em Santiago? Parece que vc viu muito mais coisas que eu.
    Bjkas e uma semana maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Betty!
    Passamos cinco dias completos e uma tarde, acho que é porque sou um pouco detalhista, também havia muita exposição, é isso...

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, Valéria
    Beleza de viagem a sua. É bom que você descreve tudinho, quem não conhece Santiago, como eu, dá pra se ter uma boa noção das belezas.
    As fotos ficaram muito bonitas.
    Aguardo as casas de Neruda.
    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Oi Maria Célia!
    Obrigada, descrevo assim justamente para dar asas a imaginação de vocês quanto as belezas da cidade. Me aguarde com Neruda!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Valéria!!!

    Que passeios ótimos, aproveitaram muito bem esse dia, hein!!!
    Abraços.
    Patrícia.

    ResponderExcluir
  14. Oi Pat!
    Você que conhece a cidade, tem uma boa visão do que conhecemos, nao é? Foi maravilhoso o dia!

    ResponderExcluir
  15. Santiago é tuuuuuudo de bom!!!!!! eu, se pudesse, me mudaria para lá. Amei Valéria!!!
    bjs
    Ana

    ResponderExcluir
  16. Oi Ana!
    Engraçado que quando eu iniciei o outro post dizendo que Santiago vai nos conquistandoaos poucos eu falei porque cogitamos justamente isso, morar um tem por lá, ô cidade agradável, não?! Continue por aqui que tem mais...

    ResponderExcluir
  17. Adorei as fotos de sua viagem... Muito interessante. Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi July!
    Seja bem vinda ao blog!
    A cidade é fotogênica e o maridão é o artista!rsrs

    ResponderExcluir
  19. Oi Valéria, não conheço o Chile, pretendo ir....com certeza vou usar seu post, como guia....perfeito.
    bjus

    ResponderExcluir
  20. Oi Vera!
    Obrigada!
    Você não sabe o que está perdendo, é muito boa a cidade e redondezas! Continue por aqui que tem mais!Bjo!

    ResponderExcluir
  21. Valéria, adorei o post sobre seu segundo dia de visita a Santiago... uma viagem rica em detalhes e registros interesssantes... literalmente viajei na imaginação e me vi na bela capital chilena com meus dois amores: Wellington e Lucas... na ordem de preferência...rs

    ResponderExcluir
  22. Oi Veni!
    Santiago é mesmo uma beleza, não é?
    Neste dia passeamos muuuito, adorei! Precisamos voltar lá juntos!

    ResponderExcluir

Gostei de sua visita, volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...