Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PARA AGRADECER

 
 
              O post de hoje é para agradecer o prêmio que recebi por indicação das queridas Verinha do blog poético Entre Pensamentos e Sentimentos e de Sandra Puff do simpático blog Sapatinhos da Dorothy . Obrigada Verinha e Sandra pelo carinho e pela indicação.
              O Prêmio Dardos foi criado pelo escritor espanhol Alberto Zambade que, em 2008, concedeu no seu blog Leyendas o primeiro Prêmio Dardos a quinze blogs selecionados por ele. Ao divulgar o prêmio, Zambade solicitou aos blogs premiados que também indicassem outros blogs ou sites considerados merecedores do prêmio. Assim a premiação se espalhou pela Internet.
                Segundo o seu criador, o Prêmio Dardos destina-se a “reconhecer os valores demonstrados por cada blogueiro diariamente durante seu empenho na transmissão de valores culturais, éticos, literários, pessoais etc., demonstrando, em suma, a sua criatividade por meio do seu pensamento vivo que permanece inato entre as suas palavras”.
                As regras do prêmio estabelecem que os indicados, depois de dizerem quem os presenteou, poderão exibir no seu blog/site o selo do prêmio e deverão indicar outros dez, quinze ou vinte blogs ou sites que preencham os requisitos acima para o recebimento do prêmio.
                De acordo com as regras, segue abaixo os blogs que indico para o recebimento do prêmio, o meu critério para escolher entre tantos ótimos blogs que sigo foi de maior assiduidade nas últimas postagens no meu blog:
 
 
 
 
 
 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O MEU SILÊNCIO

 
Imagem do Google
 
Gosto do meu silêncio!
Lá todas as vozes se tornam impotentes
Nele percorro vias solitárias
Mas ao mesmo tempo povoadas
Por meus sonhos e pensamentos.
Nem todos conseguem entender o meu silêncio.
Mas não consigo explicar por palavras
Então minha melhor resposta é silenciar.
Às vezes ele é um grito
Do mundo de palavras que procrastinei.
Algumas vezes ele é leve feito pluma
Outras vezes pesa sobre meus ombros.
Ele não é só de aceitação
Ele também me evita erros e o dizer banal.
Ele pode até incomodar
Mas é sábio e seu som minh’alma alimenta
Pois me faz escutar a voz do coração.
Meu silêncio deseja conversar com o seu...
 
Valéria
 
Uma feliz semana para todos!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

UM MORADOR INESPERADO

 
Imagem do Google
              Todo dia passava de ônibus pela mesma rua e lá estava aquela casa chamando sua atenção. A casa tinha uma placa de Vende-se. Era bem simpática e bem localizada, embora o mato tomasse conta de todo o jardim emprestando a ela um ar de abandono. Anotou o número do telefone da imobiliária e começou a sonhar e pensar nas transformações que poderia fazer por lá. Contatou o corretor e marcou uma hora para visita.
               Lá chegando começaram a percorrer toda a casa. O imóvel embora há tempos fechado já impressionou à primeira vista. Era tudo muito bom carecendo apenas de alguns reparos e renovação. Ela ia sempre à frente observando tudo nos mínimos detalhes seguida pelo marido e pelo corretor.
               Entretidos nas conversas mais práticas do negócio os dois se distanciaram dela que se encaminhou para a área de serviço da casa. Dirigiu-se para a dependência de empregada e abriu lentamente a porta, olhou tudo com cuidado, entrou no banheiro, deu conta de tudo e ao se virar para sair olhou para a porta do quarto e gritou. – Um bichooooooo!
                Bem sentado em cima da porta um morador inesperado, um lagarto, um iguana verde e grande com sua cauda imensa permanecia imóvel a olhá-la. Um arrepio percorreu todo o seu corpo! Como sairia dali, como passaria por aquela porta novamente? A sensação de ter passado por ela, empurrando-a e imaginando que ele poderia ter caído sobre ela, imobilizou-a. Foi um segundo de pensamentos aterrorizantes que durou uma eternidade.
                 Alertados pelo grito, os homens correram, o marido para salvá-la, o outro entre um passo para frente e outro para trás, na dúvida correu para longe. Convencida pelo marido de que o pobre e indefeso lagarto nada faria, ela correu para longe aterrorizada, mas aliviada. Ele, o lagarto continuou lá como se nada houvesse acontecido e perturbado a sua rotina.
                Bom, por motivos que não cabem aqui, o negócio não foi fechado e nem o bicho despejado, pelo menos por enquanto. rsss
                Um excelente final de semana para todos!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

VIAJO NAS PALAVRAS

 
Imagem do Google
 
Viajo por um breve momento.
Uma viagem nas palavras.
Viro-me pelo avesso.
Por vezes elas me faltam
Para construir
E preencher os silêncios e vazios
Mas penso e sinto através das palavras
Nas palavras soltas
Que o vento traz
E que me remetem ao passado
E me levam ao futuro.
Palavras que dançam e criam vida.
Por vezes me disperso neste mundinho insustentável
Perco-me e encontro-me nelas.
Viajo sem pressa.
Percorro longas distâncias
Numa viagem solitária pela alma
No mundo confortável das palavras.
E é no universo imaginário das palavras que sonho e me liberto.
 
Valéria


Hoje estou no Ponto de Encontro da amiga Norma do Blog Pensando em Família.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

MOMENTOS DE INTROSPECÇÃO

 

Imagem do Google
 
Quietude...
Em um breve sopro de ar
Cruzo a fronteira do meu eu.
Aquieto-me e aguardo o encontro
Na viagem interior
À procura de uma verdade.
Momentos de introspecção
De humildade e recolhimento.
Uma observação singular.
E imersa em meus pensamentos
Exponho-me na minha ignorância
Ao mergulho do desconhecido.
Exponho-me ao perigo
Às incertezas.
Uma viagem ao passado
E de conjecturas para o futuro.
Neste diálogo com a alma
Busco o que há de melhor em mim
Renovo-me e sigo em frente.
 
Valéria
 
Uma semana abençoada para todos! 

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A CHUVA

 
Imagem do Google
 
Tempo incerto
De vento frio
Vento que faz curva
E vem trazendo a chuva.
Chuva fria
Que chega sem reticências
E pode ser nefasta.
Espero a chuva
Chuva necessária no seu tempo.
Que molha as plantas
Que banha e lava.
Lá fora
Sinto o cheiro da terra
E vejo alguém abrir os braços e olhar para o céu
Para a chuva que traz vida
E nela se deixar molhar prazerosamente.
Aqui dentro no aconchego
Vejo os pingos que escorrem pelo vidro
Escuto a chuva solidária
Que parece uma música triste
Mas que me lava a alma
E que comigo chora.
 
Valéria
 
 
Um final de semana abençoado!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

INTOLERÂNCIA - O MAL DESTE SÉCULO

Imagem do Google
 
 
Sofremos de grande mal
Seja para que lado olhemos
Fruto de ideias preconcebidas
E contra isso lutemos!
 
No corre-corre estressante
Já não se tem paciência de trocar uma ideia
E logo se sai aos gritos
A se pavonear para a platéia.
 
Não há verdades absolutas
E esta intolerância está a fechar caminhos
Principalmente ao diálogo
Quando mina o respeito aos vizinhos.
 
Vejo uma linha tênue entre a aceitação ou não da diferença do outro
E é neste frágil limite que reside o grande conflito
Mas será que não há solução?
Há, em aprender a respeitar a liberdade do outro, e que seja irrestrito.
 
Valéria

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

UMA MANIA? DE LIMPEZA

 
 
Imagem do Google
 
              Tudo demais é muito já dizia minha sogra.
             Nós donas de casa geralmente gostamos de tudo limpo e organizado, mas houve um momento na minha vida que eu extrapolei este desejo. Mesmo com quatro filhos pequenos a minha casa vivia impecável mesmo que para isso eu precisasse virar a noite limpando.
              Começava pelos quartos dos meus filhos onde organizava tudo, colava caixa, brinquedos quebrados, olhava o todo a partir dos mínimos detalhes e quando chegava a hora deles dormirem estava tudo na mais perfeita ordem e eu podia assim continuar pelo resto da casa muitas vezes terminando quando eles já estavam a se levantar novamente. Entrar de sapatos, tirar móveis ou alguma coisa do lugar era proibido e hoje imagino como deveriam me achar chata.
              Fiz isto por muitos anos até voltar a estudar e ver as minhas colegas de faculdade se admirarem por minha casa parecer uma casa de bonecas mesmo com tantas crianças morando nela. Bom, isto foi prato cheio para aquelas futuras psicólogas que começaram a questionar o tipo de exigências a que eu me infligia e a meus filhos e claro comecei a me policiar, mas ainda vivi agindo assim por longos anos até realmente me cansar de tudo aquilo. Libertei-me, não totalmente, mas tirei um grande peso de mim.
              A isso chamam de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), a pessoa é refém de um padrão de pensamentos e comportamentos repetitivos e sem muita lógica, que são muito difíceis de serem evitados. A pessoa até reconhece que seu comportamento é extrapola a razão, mas continua a fazer, não se sabe se o comportamento diminui a ansiedade ou se termina sendo o provocador, pois não é fácil lidar com um comportamento que pode até afetar a dinâmica familiar e o cotidiano, no meu caso uma doentia mania de organização e limpeza, não aquela de temer se contaminar, mas a de ver tudo na mais completa ordem como se fosse um cenário. De repente não sabia qual era o limite entre o hábito e a compulsão, sim porque era assim, uma compulsão que começou a interferir significativamente na rotina normal consumindo-me muito tempo para deixar tudo brilhando e que trago até hoje ainda como resquícios uma necessidade sempre presente pela simetria.
             Viver na limpeza e organização é saudável, mas se nós firmamos este compromisso de manter as nossas casas sempre limpas pecando pelo excesso terminamos por deixar de fazer o melhor da vida que é viver.
              Uma excelente semana para todos!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS - NA MINHA INFÂNCIA

 
 
              A infância é a fase mágica da nossa vida marcada por tantas ingênuas certezas e vivenciada por uma fé tão inocente que nos faz ver tudo colorido. Fui filha única e sempre vivi sob os olhos cuidadosos de meus pais que cediam sempre às minhas vontades, fui muito mimada, mas não havia paranoia, tinha muita liberdade. Pela idade deles que já eram bem maduros sempre estava cercada de muitos adultos e assim era muito educada e atenciosa até mesmo porque respeito estava acima de tudo. Como gostava de estudar tirava sempre boas notas e sempre passava de ano com facilidade. Amava meus cadernos e meus livros sempre impecáveis.
            A tecnologia não avançara ainda e poucos tinham telefone, televisão e assim não precisávamos avisar que íamos visitar alguém e mesmo assim éramos muito bem recebidos e nem havia uma tv a atrapalhar as animadas conversas. Como se valorizava esta troca!
              É, para mim foi assim, mesmo pobre, mas graças a Deus em um período em que o consumismo não impregnava a nossa vida com suas tentações, dávamos importância às coisas mais simples e parecia tudo mais fácil, descomplicado. Lembro-me com saudade das conversas animadas, das risadas, das brincadeiras com as amigas da rua ou do colégio, as inocentes brincadeiras de roda, correr na rua sem preocupação com a violência e o trânsito, brincar de boneca traduzindo ludicamente o que se vivenciava na escola e em casa, pular corda, pega-pega, ficar descalços na areia, tomar banho de chuva, uma bagunça gostosa sem neuroses de doenças. Era um viver intenso e despreocupado, onde o tempo não contava e os dias passavam lentos e sempre cheios de magia. Parecia que a infância era mais longa, não havia pressa em pular etapas, pular mesmo só amarelinha!
              Recordar faz valer à pena tudo isso que vivenciei! E este relato faz parte da brincadeira proposta pela amiga Beth do blog Mãe Gaia, “Para relembrar isso, vamos pegar carona neste dia das crianças e além de ver nossas fotinhas juntas, vamos também relembrar a criança que fomos e para isso, peço que cada um neste dia, poste, em poucas linhas, nada grande cansativo para que desistam de ler, mas uma pequena biografia do que foi, como brincava, como via a vida, como eram seus dias, seus pais, sua família, sua escola, sua casa”.
                Um feliz dia das crianças!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

AGRADECIMENTO

 
 
               Não sou muito de dar importância a números, mas é com muita satisfação que vejo meu blog chegar às suas 100.000 visitas, o que muita alegria me dá. Iniciei despretensiosamente sem imaginar que poderia atingir tal marca embora seja simbólica, pois não representa uma verdade absoluta, mas hoje só tenho a agradecer a todos os que passaram por aqui, seja para me deixar um comentário simpático, seja para colher alguma informação, seja simplesmente “en passant”.
              Não poderia deixar passar em branco este momento, afinal o presente são vocês que prestigiam este espaço e a mim com suas visitas. Obrigada!

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O MEU SENTIR

Imagem do Google
 
Sem os sentidos nada faz sentido
Amar é o sentido.
Em todos os sentidos está o sentir.
Sentir...
Para além da palavra
Para além do silêncio
Para além do sorriso
Para além...
Eu sou toda sentidos
No sentir profundo que esvazia minh’alma.
O sentir com todo o sentimento
Na delícia de sentir as coisas mais simples
E viver na sutileza deste sentir.
 
Valéria
 
 
Uma linda e feliz semana para todos!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A LUA

 

Imagem do Google
 
Olhei para o céu
E nele poucas estrelas brilhavam
Como pequenos diamantes.
Mas, ela lá estava,
Linda e cor de prata
Iluminando esta noite primaveril.
De lá me escuta e sorri.
Que prazer olhar para o céu
E te ver tão bela!
Eu e a lua
Com o infinito entre nós.
Lua cheia, lua linda, lua minha,
Faz morrer de inveja estas poucas estrelas
Que insistem em brilhar.
Tu que passeias tranquila no céu
Brilha e comanda a vida com tuas fases.
E hoje te fazes bela neste casamento perfeito com o sol.
Lua dos namorados, dos sonhadores e poetas.
És cheia de magia e encantos
Tanto que a meu coração aquietas!
♥ ♥ ♥
E como um buquê
Encontro a sua lua no céu infinito
E trago para você.
 
 Valéria
Para a lua que se fez tão bela na noite de  30/09/2012.
 
Um excelente final de semana para todos!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

CALA-TE

 

Imagem do Google
 
Se nada tens a dizer
Senão de dor, de solidão,
Cala-te!
Cala este choro no silêncio da noite
Fruto da inconstância do viver.
Silencia tua mente e escuta o teu coração
Escuta tuas emoções.
Silencia...
O silêncio nem sempre sufoca
Ele sossegará tua alma
E trará paz ao teu coração.
Só não cala tuas verdades
Que querem romper o silêncio e gritar
Elas são o teu tesouro.
 
Valéria

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O SEU OLHAR

 
Imagem do Google
 
Seu olhar me diz
O que sua boca cala
Ele me fala de tudo que eu preciso ouvir
Recita o que o silêncio traduz
Da poesia de seu coração.
Dispensa palavras supérfluas
E me faz acreditar
Que nenhum mistério há.
E minha alma se alegra
Com este seu olhar.
Ao mesmo tempo em que sou acolhida
Nele me encontro
No reflexo castanho do seu olhar.
O meu olhar se perdeu no seu
E nesta sintonia os meus desejos ficaram presos aos seus.
Nele encontrei algo perdido em mim
Pois seu olhar é a lua de minha noite
Ele me guia
E sempre me acho na luz do seu olhar.
 
Valéria

 
Uma linda semana e um outubro de alegrias!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...