Pular para o conteúdo principal

A CHUVA

 
Imagem do Google
 
Tempo incerto
De vento frio
Vento que faz curva
E vem trazendo a chuva.
Chuva fria
Que chega sem reticências
E pode ser nefasta.
Espero a chuva
Chuva necessária no seu tempo.
Que molha as plantas
Que banha e lava.
Lá fora
Sinto o cheiro da terra
E vejo alguém abrir os braços e olhar para o céu
Para a chuva que traz vida
E nela se deixar molhar prazerosamente.
Aqui dentro no aconchego
Vejo os pingos que escorrem pelo vidro
Escuto a chuva solidária
Que parece uma música triste
Mas que me lava a alma
E que comigo chora.
 
Valéria
 
 
Um final de semana abençoado!

Comentários

  1. Oii Valéria, muito lindo, uma chuva que lava a alma é sempre bem vinda, cheirinho de terra me lembrou Goiás, o problema é que não chove rsrs, estou torcendo pelas chuvas aki, até o momento foram muito timidas! Bjoooss

    ResponderExcluir
  2. A chuva é linda e necessária, embora ela tenha aparecido pouco onde precisam e muito onde já estão fartos dela.

    Linda poesia! beijos,ótimo fds e tudo de bom, com um sol lindo brilhando dentro de ti! chica

    ResponderExcluir
  3. Oi Valéria,
    a chuva mexe com o emocional, mas depois da chuva passar tudo alivia. Precisamos de fluir com o ciclo das estações, aceitar as mudanças climáticas e de humor com sabedoria.
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderExcluir
  4. Bom dia,Valéria!!

    Uma linda inspiração!!!
    Pra mim,às vezes a chuva inspira alivio,renovação!
    (mas depende do tempo...rsrs)
    Beijos e meu carinho,minha amiga!!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá amiga !
    Val... sempre inspirada!
    Lindo poema.
    Não poderia deixar de te visitar, é sempre um prazer enorme pra mim vir aqui no seu cantinho tão inspirado.
    Beijos querida.

    ResponderExcluir
  6. Gosto da chuva miúda, lavadeira, escorrendo em filetes pelas folhas das árvores,pelas vidraças, pelos telhados...lavando a poeira antiga, renovando a aura do dia.

    Fresca poesia que lava nossa alma, Valéria.
    Bom fim de semana. Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  7. Ei Valéria
    Lindo poema, neste momento cai uma chuvinha miudinha, destas de embalar o sono.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Minha querida Valéria,
    Tenho passado por aqui, lido suas últimas postagens que me puseram pensativa. Daí que lia a postagem e saía para ruminar a respeito, para voltar e comentar, aí... já tinha outra postagem! Vc está muito produtiva! E cada uma melhor do que a outra!
    Então, não dei conta de comentar ainda em nenhuma! Porque não gosto de comentar assim, sem refleir, só para cumprir tarefa, vc sabe.
    Gosto de curtir cada palavra, frase, texto ou poesia que produz!
    Este acima, o da chuva... está a minha cara! Como já "conversei " com ela, sobre suas beneces e suas tragédias, suas bençãos e sua missão benéfica de limpeza de descarrego!
    Abençoada chuva que lava e renova!
    Bjssssssssssssss, quérida!

    ResponderExcluir
  9. O cheiro de terra quando chove me remete a um tempo que dá saudade mas não sei nem de quando.
    bjs,
    Bom final de semana

    ResponderExcluir
  10. Valéria, as gotas dos seus versos trouxeram um pouco de calma para este fim de semana.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Desta vez eu apareci no meio dos versos, de braços abertos e curtindo a chuva com o rosto pro alto. Fiz isso hoje. Faço sempre que posso. Sou Apaixonado por ela.
    Adorei!!
    Bjo grande e boa semana!

    ResponderExcluir
  12. Olá Valéria,
    Depois de um tempinho ausente aqui estou pra matar a saudades...
    Seus versos veio pra refrescar um pouco minha alma.
    Gostei imenso!


    Deixo um grande abraço, com desejo de uma ótima semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Valéria,

    Sempre gostei de olhar o ritmo da chuva, mas como chove demais aqui, às vezes, fico um pouco entediada. Rs
    Acho que contemplar a chuva com esse verso é mais gostoso, mesmo parecendo uma música triste.
    Um lindo dia! Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostei de sua visita, volte sempre!

Postagens mais visitadas

COMO EU ME VEJO, COMO VOCÊ ME VÊ, COMO EU PENSO QUE VOCÊ ME VÊ... E COMO EU REALMENTE SOU!

Abrindo um parêntese no blog onde a proposta é só escrever sobre coisas boas e belas, do que realmente eu gosto, hoje venho fazer considerações não tão simpáticas, é, não só de coisas boas é formada a vida... Então...           Assim diz Clarice Lispector, sou como você me vê... Será? Tem alguns dias que ficamos perplexos em descobrir uma faceta até então desconhecida para todos de uma pessoa conhecida. De inicio ficamos perplexos, passado o susto inicial passamos a tentar decodificar sinais indicadores de tão triste passagem. Muitas vezes falamos com tanta propriedade sobre nós mesmos que demonstramos para os outros e para nós memos que conhecemos tudo o que somos, e de repente, bum! algo acontece, e como num surto aquilo que estava latente surge para quebrar a máscara, o disfarce. E fica a pergunta, mas como nunca percebemos isso?!          Para Carl Rogers, somos o que somos, e não aquilo que devemos ser...Será? É muito importante a percepção que temos de nós mesmos, a percepção…

UM NOVO ANO

Imagem do Google  Folheio o livro Com cheiro de novo E com páginas em branco Onde escreverei com letras douradas E forjarei cada presente de meu futuro. Nele um novo recomeço Um tempo de renovação. De reinventar-se De transformar sonhos em realidade. É um novo ano que se inicia E por um breve momento Todos os corações em sintonia Darão boas vindas a ele. Um novo tempo que nos traz esperança em dias melhores. Por isso acreditemos nas novas possibilidades... E sejamos felizes! Valéria Um ano novo abençoado para todos nós!

MAIS UMA VEZ AVÓ!

Quase um mês! Eu parei no tempo, mas ele continuou a passar fazendo acontecer muitas coisas boas e outras nem tanto. Estou atrasada com minhas leituras dos blogs amigos, a quem peço desculpas, mas aos poucos retomarei a vidinha na blogosfera.             Para me fazer sair um pouco do marasmo em que estava vi parte de mim renascer com o nascimento de meu terceiro neto dia 18/10. Vinícius nasceu para junto com sua irmãzinha completar a família do meu primogênito. É sempre uma dádiva ver acontecer o milagre da vida e é impossível não se emocionar quando se olha para aquele ser tão pequenino, tão frágil e tão lindo. Toda a felicidade do mundo para Vinícius!