Pular para o conteúdo principal

CONVIVER COM A TRISTEZA



Imagem do Google

              Desde que o mundo é mundo que viver é a arte de saber aproveitar da melhor maneira possível os bons momentos e driblar aquelas situações menos prazerosas. Ninguém é feliz o tempo todo, vivemos altos e baixos que nos trazem um sofrimento até necessário para o nosso processo de crescimento interior e nos ajuda a dar valor às nossas conquistas, no entanto, tristeza causa um vazio. Só não podemos é nos abater diante da tristeza que o sofrimento nos causa e deixá-la interferir em todos os segmentos de nossa vida que continua apesar dos pesares, bloqueando a objetividade da razão. No silêncio da tristeza, nos tornamos introspectivos e mergulhamos no nosso íntimo, pensamos e refletimos e depois de noites insones o novo amanhã pode nos sorrir. A vida é assim...

 


        Tristeza – Rubem Alves

             Há tristezas de dois tipos

               Primeiro, são as tristezas diurnas, quando  o
               mundo está iluminado pelo sol.
               Tristezas para as quais há razões.
               Quem não sente essas tristezas está doente e
               precisaria de terapia para aprender a ficar triste.
               Tristeza é parte da vida.
               Ela é reação natural da alma diante da perda   de
               algo que se ama.
               O mundo está luminoso e claro - mas há algo, uma
               perda, que faz tudo ficar triste.

               Segundo, são as tristezas de crepúsculo.
               Crepúsculo é triste,  naturalmente.
               Não, não há perda nenhuma.
               Tudo está certo. não há razões para ficar triste.
               A despeito disso, no crepúsculo a gente fica.
               Talvez porque o crepúsculo seja uma metáfora do
               que é a vida: a beleza efêmera das cores que  vão
               mergulhando no escuro da noite.

               A vida é assim.

               Se  é manhã brilhante o tempo todo, alguma coisa
               está errada.
               Tristeza é preciso. a tristeza torna  as  pessoas
               mais ternas.
               Se  é crepúsculo o tempo todo, alguma coisa   não
               está bem.
               Alegria   é  preciso.  alegria   é  a  chama   que  
               vontade de viver.

               Eu acho que essa tristeza crepuscular é mais que
               uma perturbação psicológica.
               Acho que ela tem a  ver  com   a  sensibilidade
               perante a dimensão trágica da vida.
               A vida  é trágica por que tudo o que a gente  ama
               vai mergulhando no rio do tempo.


Comentários

  1. O que seria da vida se não fossem os momentos de tristeza? Com ela aprendemos e muito a valorizar nossas alegrias!

    Estava com saudades de passar por aqui...
    Obrigada pelo carinho de sempre!

    Abraços,
    Carol
    www.umblogsimples.com

    ResponderExcluir
  2. Lindo post e tema...

    A vida é realmente assim...

    Um dia alegrias e parece, logo a seguir, surge uma coisinha pra incomodar.

    Saber conviver com isso, tirando de letra e conservando a alegria é preciso...Sem dúvida!!

    beijos,chica e lindo dia!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Val,

    É claro que o melhor da vida é ser feliz, mas também concordo que a tristeza é necessária, nos faz crescer e nos ensina a apreciar ainda mais os momentos de alegria :)

    Na dose certa, a tristeza até nos faz bem!

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Conviver cm a tristeza é saber fingir para a saudade.
    meu beijo Val..

    ResponderExcluir
  5. Oi Val!!!

    Realmente ninguém é alegre o tempo todo, infelizmente momentos ruins fazem parte, temos que aprender a lidar com isto e ir em frente no constante processo que é nossa evolução na terra.
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  6. Tem uma frase atribuida a Drummond, que não sei se é realmente dele mas é muito verdadeira. " A dor é inevitável, o sofrimento é opcional." Assim vamos construindo aprendizados e nos livrando do sofrimento , com alegria e positividade. Abraços, Valéria. paz e bem.

    ResponderExcluir
  7. Oi Valéria, esse texto de Rubem Alves eu não conhecia, adoro a forma como ele escreve, concordo que a tristeza seja necessária acho que nos torna mais sensiveis! Bjoos

    ResponderExcluir
  8. Oi Valéria
    Ninguém quer ser triste, quem dera pudéssemos viver sempre alegres.
    Mas na vida do ser humano isto é utopia; momentos ruins, tristeza crepuscular, como diz Rubem Alves, fazem parte da nossa existência, não há como fugir.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. é valeria, assim é a tristeza.... melhor ainda na mente de rubem alves, meu escritor predileto. uma delicia de texto, para ser digerido com um gostoso café, em volta da mesa. abraços lamarque

    ResponderExcluir
  10. Valeria,muito bem escrito seu texto sobre a tristeza e beleza de poesia do Rubem Alves que escolheu!O inverno tb me deixa um pouquinho melancólica!bjs,

    ResponderExcluir
  11. É difícil, viu, Valéria? Não ando conseguindo driblar a tristeza, é muito ruim ver um irmão sofrendo e a gente impotente demais. Não consigo separar, mas ela vai melhorando, num instante a alegria volta a nos encher a vida.
    Nem sempre é apenas uma questão de otimismo, ela nos invade por motivo real e temos que vivê-la a fundo, mergulhar nela e depois nos libertarmos dela.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. O Rubem é fantastico para reflexão.A tristeza é nossa e não tem como se eximir desta parceria.Mas confesso uma folga com o crepusculo.
    Linda garimpagem amiga com muita sensibilidade.
    Carinhoso abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  13. Minha querida Valéria, que bom ler Rubem Alves aqui, pois ontem mesmo comecei a leitura do seu último livro (eu creio), Ostra Feliz não faz Pérola...gosto demais dos textos dele, e este me tocou profundamente...Obrigada!

    ResponderExcluir
  14. Valéria

    Rubem Alves é D++++.
    Adoro.
    O importante no nosso crescimento é encarar tudo com serenidade.

    Linda postagem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Boa noite,

    Encontrei seu site procurando na internet alguma forma de aprender a conviver com minha tristeza. Venho tomando medicação, fazendo terapia,... tenho uma vida ótima nenhum motivo para estar triste, mas não consigo ser feliz. Gostaria de saber se conhece algum livro sobre o assunto que possa me recomendar. Não quero coisas do tipo, aprenda a ser feliz... já desisti de ser feliz, quero agora aprender a conviver comigo do geito que realmente sou...triste

    Muito obrigado, meu e-mail é jeanoliveira85@yahoo.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostei de sua visita, volte sempre!

Postagens mais visitadas

COMO EU ME VEJO, COMO VOCÊ ME VÊ, COMO EU PENSO QUE VOCÊ ME VÊ... E COMO EU REALMENTE SOU!

Abrindo um parêntese no blog onde a proposta é só escrever sobre coisas boas e belas, do que realmente eu gosto, hoje venho fazer considerações não tão simpáticas, é, não só de coisas boas é formada a vida... Então...           Assim diz Clarice Lispector, sou como você me vê... Será? Tem alguns dias que ficamos perplexos em descobrir uma faceta até então desconhecida para todos de uma pessoa conhecida. De inicio ficamos perplexos, passado o susto inicial passamos a tentar decodificar sinais indicadores de tão triste passagem. Muitas vezes falamos com tanta propriedade sobre nós mesmos que demonstramos para os outros e para nós memos que conhecemos tudo o que somos, e de repente, bum! algo acontece, e como num surto aquilo que estava latente surge para quebrar a máscara, o disfarce. E fica a pergunta, mas como nunca percebemos isso?!          Para Carl Rogers, somos o que somos, e não aquilo que devemos ser...Será? É muito importante a percepção que temos de nós mesmos, a percepção…

UM NOVO ANO

Imagem do Google  Folheio o livro Com cheiro de novo E com páginas em branco Onde escreverei com letras douradas E forjarei cada presente de meu futuro. Nele um novo recomeço Um tempo de renovação. De reinventar-se De transformar sonhos em realidade. É um novo ano que se inicia E por um breve momento Todos os corações em sintonia Darão boas vindas a ele. Um novo tempo que nos traz esperança em dias melhores. Por isso acreditemos nas novas possibilidades... E sejamos felizes! Valéria Um ano novo abençoado para todos nós!

MAIS UMA VEZ AVÓ!

Quase um mês! Eu parei no tempo, mas ele continuou a passar fazendo acontecer muitas coisas boas e outras nem tanto. Estou atrasada com minhas leituras dos blogs amigos, a quem peço desculpas, mas aos poucos retomarei a vidinha na blogosfera.             Para me fazer sair um pouco do marasmo em que estava vi parte de mim renascer com o nascimento de meu terceiro neto dia 18/10. Vinícius nasceu para junto com sua irmãzinha completar a família do meu primogênito. É sempre uma dádiva ver acontecer o milagre da vida e é impossível não se emocionar quando se olha para aquele ser tão pequenino, tão frágil e tão lindo. Toda a felicidade do mundo para Vinícius!